Neto de Wagner deixa festival de ópera e instaura crise familiar

terça-feira, 29 de abril de 2008 17:17 BRT
 

BERLIM (Reuters) - O neto de Richard Wagner concordou em deixar o comando do festival alemão de Wagner em agosto, após 57 anos no cargo, informou um porta-voz na terça-feira, anunciando uma decisão que pode encerrar uma batalha familiar épica.

Em uma polêmica que a mídia vem chamando de "guerra dos primos", três bisnetas de Richard Wagner lutaram por anos pelo direito de suceder Wolfgang Wagner, 88 anos, que até então se recusava a deixar o festival que ele liderava desde 1951.

"Wolfgang Wagner decidiu...que é hora de passar a responsabilidade", disse o porta-voz do festival de ópera na cidade alemã ao sul de Bayreuth.

Wagner escreveu uma carta à Fundação Richard Wagner, que tem a palavra final no festival, dizendo que ele gostaria de deixar o posto no final de agosto.

Wagner surpreendeu os fãs de ópera algumas semanas atrás ao indicar pela primeira vez que poderia renunciar. Ele também deixou claro seu desejo de deixar no lugar a filha de seu primeiro casamento, Eva Wagner-Pasquier, 63 anos, e outra filha bem mais jovem, Katharina, 29 anos, para comandarem juntas o evento.

A mídia diz que as duas mulheres são rivais e não conversam há anos. Mas Katharina chegou a dizer este mês que as duas voltaram a se aproximar no ano passado, após a morte da segunda mulher de Wolfgang, Gudrun, mãe de Katharina.

Enquanto a tensão permanece entre Eva e Katharina, a prima das duas meia-irmãs, Nike, 62 anos, também deixou claro que aspira por uma chance de liderar o festival.

O porta-voz do evento disse que os membros da Fundação estavam otimistas de que iriam achar uma solução para o impasse nos próximos meses.

Richard Wagner inaugurou a casa de ópera em Bayreuth em 1876 após procurar em vão por um local grande o suficiente para óperas épicas como seu ciclo de quatro partes "O Anel".

A demanda para o festival anual é tão alta que os fãs precisam esperar até 10 anos para um ingresso.

(Por Kerstin Gehmlich)