PERFIL-Gil internacionalizou Cultura, aumentou verba e cantou

quarta-feira, 30 de julho de 2008 20:00 BRT
 

Por Fernanda Ezabella

SÃO PAULO (Reuters) - Gilberto Gil, o cantor que foi ministro por mais de cinco anos, deixa o palco do Ministério da Cultura nesta quarta-feira, após internacionalizar e aumentar a verba da pasta em mais de 100 por cento, sem deixar de lado sua música.

O anúncio da saída foi feito nesta tarde, em um encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio do Planalto.

Gil havia reassumido o ministério nesta quarta-feira, ao encerrar suas férias de um mês. Ele estava em turnê mundial desde junho, principal atividade de sua vida como músico, que conseguiu manter apesar das muitas críticas ao longo dos anos de sua carreira ministerial.

Baiano de 66 anos, cantor, compositor e integrante do movimento Tropicalista, Gilberto Gil estava desde 2003 no ministério, ano do primeiro mandato de Lula.

Ensaiou, por mais de uma vez, deixar a pasta. A última tentativa foi no final do ano passado, quando sofria problemas com sua voz, mas acabou ficando após pedidos de Lula e da classe artística.

Sérgio Mamberti, amigo pessoal do cantor por mais de 40 anos e secretário da Identidade e da Diversidade Cultural, disse no final do ano passado à Reuters que a pressão para Gil ficar era grande, mas que ele também estava angustiado demais com o problema na voz.

"Ao contrário do que muitas vezes se falou, que ele é cantor, viaja muito e tal, o Gil segue uma agenda muito pesada", disse Mamberti. "Eu diria que ele é hoje a maior liderança internacional da cultura, é a liderança do Brasil."

TERNOS E TRIOS   Continuação...