"Happy-Go-Lucky" leva Sally Hawkins a ser cogitada para um Oscar

quarta-feira, 8 de outubro de 2008 16:51 BRT
 

Por Christine Kearney

NOVA YORK (Reuters) - A atriz Sally Hawkins é relativamente desconhecida nos Estados Unidos, mas uma atuação aclamada no novo filme do diretor britânico Mike Leigh pode levá-la a percorrer os tapetes vermelhos de Hollywood na temporada de premiações que começa em breve.

A atriz londrina de 32 anos vem sendo mencionada por críticos como possível candidata ao Oscar pelo papel da otimista e brincalhona professora Poppy na comovente comédia "Happy-Go-Lucky", de Mike Leigh, que chega aos cinemas americanos na sexta-feira.

No início do ano ela recebeu o troféu de melhor atriz pelo filme no Festival de Berlim. Mais recentemente, alguns críticos a citaram como possível candidata ao Oscar de melhor atriz, e o Festival de Cinema de Hollywood acaba de considerá-la a atriz revelação do ano.

Como há vários filmes possivelmente candidatos ao Oscar que ainda não foram lançados nos EUA este ano, Hawkins diz que não tem expectativas de nada, mas que, se chegasse a subir ao palco, seria "um fracasso".

"Eu provavelmente ficaria tão confusa que não conseguiria dizer nada que fizesse sentido. Seria o discurso de Oscar mais embaraçoso da história", disse ela, rindo, em entrevista recente.

Mas essa modéstia, inteligência e bom humor são típicos de Sally Hawkins, segundo seus admiradores - entre eles o próprio Leigh, com ela trabalhou primeiramente em "Agora ou Nunca", de 2002.

Leigh disse que fazer o papel de Poppy, cuja atitude despreocupada esconde uma percepção de mundo mais arguta, é mais difícil do que parece.

O diretor, cujos outros filmes já valeram indicações de Oscar a suas atrizes - como foi o caso de Brenda Blethyn em "Segredos e Mentiras" - disse que escolheu Hawkins para o papel porque "sem dúvida alguma era hora de fazer um filme que a colocasse no centro das atenções".   Continuação...