October 16, 2008 / 3:28 PM / 9 years ago

Astros norte-americanos em Londres declaram apoio a Obama

3 Min, DE LEITURA

<p>Barack ObamaJim Bourg (UNITED STATES) US PRESIDENTIAL ELECTION CAMPAIGN 2008 (USA)</p>

LONDRES (Reuters Life!) - Se Barack Obama não chegar à Casa Branca, não será por falta de apoio por parte de boa parte do mundo do cinema e da música.

O elenco e equipe técnica de "Frost/Nixon", que fez sua estréia mundial na abertura do Festival de Cinema de Londres, na noite de quarta-feira, não perdeu tempo para divulgar suas preferências políticas.

E isso não obstante o fato de seu filme recriar uma série famosa de entrevistas feitas pelo jornalista britânico David Frost com o ex-presidente norte-americano Richard Nixon, mais de 30 anos atrás.

Do outro lado do Atlântico, a popstar Madonna deixou para trás o anúncio de seu divórcio do cineasta Guy Ritchie e seguiu adiante com um concerto em Boston, no qual exortou seus fãs a votar em Obama.

Em Londres, o ator Kevin Bacon e o diretor premiado com o Oscar Ron Howard deram seu apoio ao candidato democrata, que, faltando menos de três semanas para a eleição de 4 de novembro, lidera nas pesquisas de intenção de voto.

"Passamos por oito anos muito preocupantes, e os tempos são complicados. Os EUA perderam status e respeito no mundo", disse Howard à Reuters no tapete vermelho londrino.

"Acho que somos um grande país, e não estou sendo idealista. Acho que representamos algo muito positivo e que Obama reforçará esse fato."

Bacon, que se descreveu como democrata por toda a vida, acrescentou que acha que Obama será "um presidente fantástico."

"Ao longo de toda esta campanha vimos sua performance equilibrada e constante. Ficarei emocionado se ele for nosso próximo presidente."

As conversas sobre a corrida presidencial nos cinemas de Londres provavelmente não pararão por aqui, já que "W.", a cinebiografia de George W. Bush dirigida por Oliver Stone, também faz parte da programação do festival.

Diretor três vezes premiado com o Oscar, Stone disse que não há maldade ou julgamento do presidente norte-americano em seu filme, embora, em entrevista recente, tenha declarado que o legado de guerras e do ataque preventivo deixado por Bush vai "assombrar seu sucessor durante anos."

Hollywood tem reputação de ser anti-Bush, mas especialistas do setor apontam que, com a reeleição dele em 2004 e uma série de filmes sobre a guerra do Iraque que fracassaram nas bilheterias, seu impacto sobre o que vai acontecer em novembro talvez seja limitado.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below