ESTRÉIA-Imagens refletidas causam sustos em "Espelhos do Medo"

quinta-feira, 16 de outubro de 2008 14:52 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Hollywood continua insistindo nos remakes de filmes orientais. Depois de refilmagens como "O Chamado" e o recente "O Olho do Mal", chega aos cinemas brasileiros "Espelhos do Medo", dirigido pelo francês Alejandre Aja ("Viagem Maldita") e trazendo Kiefer Sutherland ("Sentinela") no papel principal.

"Espelhos do Medo" baseia-se num suspense coreano de 2003. Seu personagem principal, vivido por Sutherland, é um detetive de polícia afastado do trabalho por problemas com alcoolismo e que atirou acidentalmente em seu parceiro.

Agora, para pagar a pensão para a ex-mulher (Paula Patton) e os filhos, o personagem, que se chama Ben Carson, trabalha como vigia noturno numa loja de departamentos em Nova York. Porém, problemas emocionais o impedem de levar uma vida normal.

Tudo fica mais complicado quando espelhos que aparecem pelo caminho de Ben parecem emanar algo de estranho. O local onde ele trabalha foi incendiado há alguns anos e até hoje as ruínas parecem guardar algo de misterioso.

A verdade é que Ben parece estar cercado por assombrações, seja no local de trabalho, ou nos pesadelos de seu filho pequeno, ou no apartamento que divide com a irmã. E são sempre espelhos que podem ser o canal para a energia maligna, o que faz o personagem se questionar se os espelhos não refletem algo além da realidade.

Esse é o pretexto para "Espelhos do Medo" entrar pelo caminho do terror psicológico, levantando suspeitas sobre a sanidade mental de seu protagonista e causando sustos na platéia - principalmente com imagens refletidas em espelhos.

Trabalhando novamente com um remake, como fez em "Viagem Maldita", Aja abusa da sua criatividade visual principalmente quando usa jogos de imagens com espelhos, deixando em dúvida o que é reflexo ou delírio.

Sutherland, por sua vez, que é creditado como um dos produtores executivos do filme, faz uma versão de seu personagem mais famoso da atualidade, o protagonista da série "24 Horas".

O filme foi rodado em Bucareste, na Romênia - exceto por algumas externas em Nova York. O cenário da loja onde o protagonista trabalha é a antiga Academia de Ciências, cuja construção foi iniciada pelo ex-ditador Nicolau Ceausescu e interrompida com a sua morte, no final da década de 1980.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)