Pink fica em primeiro lugar na parada britânica pela 3a semana

segunda-feira, 20 de outubro de 2008 13:03 BRST
 

LONDRES (Reuters) - A cantora norte-americana Pink continuou no topo das paradas britânicas pela terceira semana seguida, com seu single "So What", resistindo ao desafio do comediante Peter Kay, com sua sátira da X-Factor. As informações são da Companhia de Paradas do Reino Unido.

Retirada do álbum "Funhouse", ainda a ser lançado, a música é a segunda de Pink a chegar ao topo da parada. O nome verdadeiro de Pink, que nasceu na Pensilvânia, é Alicia Moore.

Estreando em segundo lugar, vem "The Winners Song", do personagem transexual Geraldine McQueen -- conhecida como Kay --, do programa de TV "Britain's got the pop factor... And possibly a new celebrity Jesus Christ Soapstar strictly on ice".

Kay pode ter sido ofuscada por Pink, mas o comediante se saiu melhor do que o outro ex-ganhador do X-Factor, Leon Jackson, que estreou em terceiro com "Don't Call this love".

Os roqueiros norte-americanos do Kings of Leon despencaram duas posições com "Sex on fire", ficando em quarto lugar. Já a outra estréia do top 10 -- "Up", dos Saturdays -- ficou na quinta posição.

O DJ Sash -- com participação de Stunt -- e sua música "Raindrops" também teve uma performance impressionante, subindo 171 lugares, ficando em nono.

Na parada de discos, a banda Keane ficou no primeiro lugar, com "Perfect Symmetry". Já os roqueiros do Oasis caíram dois postos, com "Dig out your soul", enquanto "Only by the night", do Kings of Leoin caiu uma posição, ficando em terceiro.

Não houve nenhuma outra estréia na parada de discos. A boy band irlandesa Boyzone ficou em quarto, com "Back Again -- No matter what".

(Por John Joseph)

 
<p>A cantora Pink chega no MTV Video Music Awards em Los Angeles. A cantora norte-americana Pink continuou no topo das paradas brit&acirc;nicas pela terceira semana seguida, com seu single "So What", resistindo ao desafio do comediante Peter Kay, com sua s&aacute;tira da X-Factor. As informa&ccedil;&otilde;es s&atilde;o da Companhia de Paradas do Reino Unido. 7 de setembro.REUTERS/Phil McCarten</p>