Em livro, Cherie Blair fala sobre ser mulher de um líder mundial

quarta-feira, 22 de outubro de 2008 15:25 BRST
 

Por Michelle Nichols

NOVA YORK (Reuters Life!) - Depois de dez anos como mulher de um primeiro-ministro britânico, sendo "vista mas não ouvida", Cherie Blair decidiu que era hora de contar sua história, depois de seu marido, Tony, deixar o cargo, em junho de 2007.

Em sua autobiografia, "Speaking for Myself", ela escreveu sobre como foi criar quatro filhos na residência oficial do primeiro-ministro, em Downing Street, ser criticada constantemente pela mídia e sobre as pessoas interessantes que pôde conhecer.

O livro saiu na Grã-Bretanha em maio e virou best-seller. Foi lançado recentemente nos Estados Unidos.

Cherie Blair falou à Reuters sobre sua vida de advogada, mãe e mulher de um líder mundial.

Pergunta: Por que você decidiu escrever esse livro?

Resposta: Eu ganho a vida falando. Sou advogada, defendo pessoas no tribunal, e continuei a fazer isso enquanto Tony estava em Downing Street. Mas minha persona pública era de alguém que era muito vista, mas não ouvida. O que aconteceu foi que havia um vazio, e nesse vazio a imprensa criou uma persona. É estranho -- meu marido foi tão bem sucedido, um político tão convincente, que se tornou mais fácil atacar a mim que a ele. Quando soubemos que Tony deixaria o cargo, comecei a pensar em escrever um livro sobre mim mesma. Para mim, foi uma grande experiência catártica.

P: Qual foi a reação de seu marido ao livro?

R: Ele me deu apoio desde o primeiro momento. Achou boa idéia. Ele ficara espantado com as críticas da imprensa a mim e achou que era uma boa oportunidade para eu apresentar minha versão -- os argumentos da defesa. Acho que ele passou por cima das partes mais femininas, emocionais. Meu livro não é um livro político -- é a história de uma mulher, escrita como eu contaria a história a minhas amigas e a meus filhos.   Continuação...

 
<p>Cherie Blair, mulher do ex-primeiro-ministro brit&acirc;nico Tony Blair, em um evento na &iacute;ndia, no dia 13 de janeiro de 2008. Depois de dez anos como mulher de um primeiro-ministro brit&acirc;nico, sendo "vista mas n&atilde;o ouvida", Cherie Blair decidiu que era hora de contar sua hist&oacute;ria, depois de seu marido, Tony, deixar o cargo, em junho de 2007. REUTERS/B Mathur (INDIA) (Newscom TagID: rtrphotosthree317835) [Photo via Newscom]</p>