Escritora Sandra Brown diz que encontra drama em toda parte

quarta-feira, 29 de outubro de 2008 13:10 BRST
 

Por Belinda Goldsmith

CANBERRA (Reuters Life!) - A escritora norte-americana Sandra Brown é conhecida por seus romances e thrillers. Autora de 56 best-sellers, ela admite que sua própria vida, em Arlington, Texas, é muito diferente da dos personagens de seus livros.

Brown acaba de lançar seu 71o romance, "Smoke Screen", após uma carreira de 27 anos como escritora, durante a qual assinou seus livros sob vários pseudônimos, incluindo Rachel Ryan, Laura Jordan e Erin St. Claire.

Seu livro mais recente começa com a jornalista Britt Shelley acordando na cama ao lado do detetive Jay Burgess, mas sem se lembrar de como chegou até lá nem saber porque ele está morto.

Brown falou à Reuters sobre seu amor pelos livros e a ausência de drama em sua própria vida.

Pergunta: Você sempre quis escrever?

Resposta: Sim. Trabalhei durante alguns anos como modelo e na televisão aberta. Eu estava trabalhando num canal de TV de Dallas e, como às vezes acontece, eu e outros três profissionais fomos demitidos inesperadamente, e eu me vi sem saída para minha energia criativa. Felizmente minha família não dependia de mim para sua subsistência; eu tinha marido e dois filhos. Comecei a procurar outra coisa para fazer. Meu marido me lançou um desafio. Eu sempre tinha dito que queria escrever, então ele me perguntou se eu ia escrever ou se ficaria só falando disso. Adoro escrever. Isto é o que eu sempre soube que queria fazer.

P: Você já tinha escrito antes?

R: Não, mas eu era boa leitora. Acho que a leitura, mais que qualquer outra coisa, prepara você para escrever. Eu me formei em inglês, com ótimas notas. E cresci numa família em que o amor pela língua era cultivado desde cedo. Meu pai era colunista de jornal.   Continuação...