Bush vai escrever livro; Palin pode roubar a cena

quarta-feira, 12 de novembro de 2008 19:53 BRST
 

Por Daniel Trotta

NOVA YORK (Reuters) - Os republicanos podem ter sido afastados do poder pelo voto, mas ainda é possível que dominem as estantes dos livros políticos nos EUA, com as memórias do presidente George W. Bush e a primeira-dama Laura Bush entre as possíveis atrações que estão por vir.

Especialistas dizem que editoras estariam ansiosas por oferecer a Laura Bush cifras na casa dos milhões de dólares por sua autobiografia, levantando a possibilidade de ela faturar mais que seu marido.

Mas ambos podem ficar em segundo plano diante de Sarah Palin, a destemida governadora do Alasca e candidata vice-presidencial republicana derrotada na eleição da semana passada.

"Com ou sem razão, o público parece ter gostado de Palin, e eu imagino que, neste momento tolo de nossas vidas, ela será capaz de receber mais do que qualquer um dos Bush", disse John Baker, ex-diretor editorial da Publishers Weekly e hoje agente literário.

Agentes e editoras dizem que ambos Bush e Sarah Palin provavelmente receberão adiantamentos de vários milhões de dólares, mas que não chegariam aos 15 milhões de dólares de adiantamento pagos ao ex-presidente Bill Clinton, valor considerado recorde para uma obra de não-ficção.

O interesse por livros de memórias políticas está em alta desde que o presidente eleito Barack Obama, que já escreveu dois livros sobre sua vida, pôs fim a oito anos de governo republicano.

O ex-assessor de Bush Karl Rove e o ex-secretário da Defesa Donald Rumsfeld estão entre os que já têm contratos para a publicação de livros, mas há outro memorialista visto como ainda mais intrigante: o vice-presidente Dick Cheney.

O presidente Bush disse à CNN na terça-feira que, depois de voltar a seu Estado natal, Texas, em janeiro, provavelmente vai escrever um livro.   Continuação...

 
<p>Bush pode escrever livro de mem&oacute;rias REUTERS/Joshua Roberts (UNITED STATES)</p>