ENTREVISTA-Filme argentino ironiza o mundo da arte

quinta-feira, 13 de novembro de 2008 16:57 BRST
 

Por Lucila Sigal

MAR DEL PLATA, Argentina (Reuters) - Os diretores argentinos Gastón Duprat e Mariano Cohn apresentaram no Festival de Cinema de Mar del Plata um filme que tece uma reflexão sobre as contradições do mundo da arte contemporânea.

"O Artista" conta a história de um enfermeiro (interpretado pelo músico argentino Sergio Pángaro) que trabalha numa clínica geriátrica e, ao notar o talento artístico de um paciente bastante confuso (o escritor argentino Alberto Laiseca), se faz passar por criador das pinturas do idoso.

Graças à mentira, ele ganha dinheiro, abandona seu emprego antigo e se insere no circuito da arte em Buenos Aires, um mundo que obedece a suas regras próprias e que o co-diretor Gastón Duprat descreve como "escorregadio".

"A arte contemporânea e todo esse mundo quase se critica sozinho. É um mundo muito frívolo, repleto de imitadores, mas também de pessoas muito sérias. Se colocássemos uma câmera para filmar uma vernissage qualquer, o resultado seria muito mais ridículo do que aquilo que mostramos no filme", disse Duprat em entrevista à Reuters.

Ao lado de "Vil Romance", "O Artista" é um dos dois filmes argentinos que integram a competição oficial do único festival de cinema de primeira linha da América Latina. O filme foi rodado em dois meses e meio em Buenos Aires, Roma e no Uruguai e está previsto para estrear simultaneamente na Argentina e na Itália em março.

"Procuramos não fechar a discussão de um assunto muito complexo, que envolve milhares de artistas, que vem sendo discutido há cem anos sem que se chegue a uma conclusão. O que é arte e o que não é? Queríamos incentivar perguntas sobre isso", disse o diretor.

O roteiro do filme é do curador de arte Andrés Duprat, irmão de um dos diretores, que conhece bem os bastidores do mundo em que se decide quem tem condições de tornar-se artista.

Os diretores, que em 2006 fizeram o documentário "Yo, Presidente" e também criaram programas de TV inovadores na Argentina, optaram por trabalhar com atores não profissionais, visando conseguir interpretações mais naturais.   Continuação...