Hollywood está fora de sintonia com valores dos EUA--pesquisa

segunda-feira, 17 de novembro de 2008 11:23 BRST
 

LOS ANGELES (Hollywood Reporter) - A maioria dos americanos diz que Hollywood não compartilha seus valores morais, revelou pesquisa encomendada pela Liga Anti-Difamação (ADL), que combate o anti-semitismo.

Sessenta e um por cento dos entrevistados disse que os valores religiosos nos Estados Unidos estão "sob ataque" e 59 por cento concordaram que "as pessoas que dirigem as redes de TV e os grandes estúdios de cinema não compartilham os valores religiosos e morais da maioria dos norte-americanos".

Intitulada "Atitudes americanas relativas a religião, valores morais e Hollywood", a pesquisa foi feita pelo Marttila Communications Group, que entrevistou mil adultos em todo o país. Foi divulgado na sexta-feira na reunião anual da ADL em Los Angeles.

"Esses resultados indicam os desafios que enfrentamos ao tratar de questões de religião na sociedade", comentou o diretor nacional da ADL, Abraham H. Foxman. "A idéia de que a religião está sob ataque é subjacente ao esforço para incorporar mais religião à vida pública americana. É preocupante o fato de que 43 por cento dos americanos pensa que existe uma campanha organizada de Hollywood e da mídia nacional para enfraquecer a influência dos valores religiosos neste país."

Entre as descobertas da pesquisa:

--61 por cento dos entrevistados concorda que "os valores religiosos estão sob ataque neste país", enquanto 36 por cento discordam.

--43 por cento disse que Hollywood e a mídia nacional estão travando uma campanha organizada para "enfraquecer a influência dos valores religiosos neste país".

--63 por cento discorda da afirmação de que "as indústrias do cinema e da televisão são em grande medida controladas por judeus"; apenas 22 por cento concordam com isso. Quando a ADL fez sua primeira pesquisa sobre atitudes anti-semitas, em 1964, quase metade dos entrevistados achava que as indústrias do cinema e da televisão eram controladas por judeus.

--Quase 45 por cento acreditam que "idéias perigosas deveriam ser excluídas das bibliotecas das escolas públicas" e quase o mesmo número discorda de que "censurar livros é uma idéia antiquada".

--Quase metade dos pesquisados (49 por cento) acreditam que os EUA estão ficando "tolerantes demais na aceitação de idéias e estilos de vida diferentes"; 47 por cento discordam da afirmação.

A pesquisa tem margem de erro de 3,1 pontos percentuais para mais ou para menos.