Grã-Bretanha devolve à Grécia ícone bizantino roubado

quarta-feira, 19 de novembro de 2008 15:10 BRST
 

ATENAS (Reuters) - A Grã-Bretanha devolveu um ícone bizantino do século 14 às autoridades gregas na quarta-feira, 30 anos depois de ele ser roubado de um monastério no norte da Grécia, anunciou o Ministério da Cultura.

A tela que retrata Cristo sendo tirado da cruz foi roubada de um mosteiro na cidade de Serres em 1978 e descoberta em 2002 nas mãos de um colecionador grego em Londres.

Um tribunal britânico decidiu este ano que a pintura valiosa deveria ser devolvida à Grécia, rejeitando uma apelação registrada por seu dono.

"Dias como estes são cheios de alegria para todas as pessoas que lutam para resgatar nosso legado cultural", disse o ministro da Cultura da Grécia, Michalis Liapis. "O ícone roubado do mosteiro de São João Batista será devolvido ao lugar de onde foi tirado."

O governo conservador da Grécia lançou uma campanha para recuperar artefatos da antiguidade e objetos de arte religiosa contrabandeados para fora do país e comprados por museus e colecionadores particulares estrangeiros.

O primeiro lugar na lista é ocupado pelos Mármores do Partenon, parte do friso que, na antiguidade, adornava o templo de Atena, construído no século 5 a.C., na Acrópole, em Atenas.

As esculturas foram levadas à Inglaterra no início do século 19 por Thomas Bruce, sétimo conde de Elgin e embaixador britânico no Império Otomano, que na época dominava a Grécia.

Liapis disse que o ícone bizantino terá que ser restaurado, já que uma camada de tinta foi sobreposta à tela antes de ela ser retirada da Grécia. O governo também vai garantir a segurança no mosteiro, para que o furto não se repita.

"O Ministério da Cultura não incentiva o 'elginismo' doméstico". disse ele, referindo-se ao embaixador britânico que levou as esculturas do país.

O ícone será exposto por duas semanas no Museu Bizantino e Cristão em Atenas.