Carla Bruni diz que não há mensagens sobre Sarkozy em novo álbum

quarta-feira, 19 de novembro de 2008 16:59 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - O novo álbum de Carla Bruni saltou para o topo das paradas na França, mas quem quiser encontrar nele revelações sobre a vida amorosa com seu marido, o presidente francês Nicolas Sarkozy, vai se frustrar.

"São apenas canções", disse Bruni no Today Show, da NBC, na quarta-feira. "Elas não são específicas sobre a vida. Não são exatamente minha vida real."

A italiana Bruni, ex-supermodelo que virou cantora pop e se casou com Sarkozy em fevereiro após um romance-relâmpago, lançou em julho seu terceiro álbum, "Comme se de rien n'était" (Como se nada tivesse acontecido).

Ela cantou ao vivo no programa noticioso matinal, como parte de uma turnê para divulgar o álbum. Algumas das letras das faixas causaram comoção e levaram a uma busca por indícios sobre seus romances passados com intelectuais e roqueiros, incluindo Mick Jagger e Eric Clapton, e seu casamento com Sarkozy.

Uma canção cuja letra diz "você é minha droga, mais letal que heroína do Afeganistão, mais perigosa que a cocaína colombiana", levou o governo colombiano a criticar a canção, dizendo que ela é "ofensiva."

Bruni desencorajou a análise profunda das letras, descrevendo as faixas como canções populares simples "que você ouve sentado em sua sala ... ao lado da lareira".

Bruni, que tem dois álbuns anteriores, admitiu ter sentido alguma apreensão em relação a lançar seu disco novo depois de se tornar primeira-dama da França.

"No começo, temi que as pessoas pudessem fazer uma interpretação equivocada, porque não estão acostumadas com isso. Geralmente as primeiras-damas ocupam-se em dar apoio a seus maridos", explicou ela.

"Mas pensei que para uma mulher de hoje, sabe, é importante ter um trabalho e conservá-lo."

Carla Bruni disse que a França está entusiasmada com a eleição de Barack Obama e que está ansiosa por conhecer a mulher do presidente eleito, Michelle.

"Ela dá a impressão de ser uma mulher forte e inteligente", comentou.