Vaticano perdoa comparação de Lennon entre Cristo e os Beatles

sábado, 22 de novembro de 2008 19:07 BRST
 

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O jornal do Vaticano finalmente perdoou John Lennon e a sua declaração de que os Beatles eram mais famosos do que Jesus Cristo. O jornal classificou o comentário de uma "bravata" de um jovem com fama repentina.

A declaração de Lennon a um jornal londrino em 1966 enfureceu os cristãos, principalmente nos Estados Unidos, onde pilhas de discos dos Beatles chegaram a ser queimadas. O tempo, contudo, parece cicatrizar todas as feridas.

"O comentário de John Lennon, que levou a uma indignação profunda, principalmente nos Estados Unidos, parece depois de muitos anos somente uma bravata de um jovem inglês, diante do sucesso inesperado", disse o diário do Vaticano Osservatore Romano.

O artigo, que marcava o quadragésimo aniversário do disco "The White Album", dos Beatles, elogiou, inclusive, o grupo. "O fato é que, depois de 38 anos da separação, as músicas de Lennon e McCartney têm mostrado uma resistência extraordinária ao tempo, sendo fonte de inspiração para mais de uma geração de músicos", afirmou o jornal.

Lennon foi assassinado em Nova York, em 1980.

(Redação de Deepa Babington)