Natal traz batalha pelo controle remoto da TV, diz pesquisa

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008 17:59 BRST
 

Por Charlie Breslin

LONDRES (Reuters) - O Natal está chegando, e um estudo recém-divulgado sugere que nossa paciência pode estar se esgotando quando se trata de decidir o que assistir na TV.

É uma cena que todos já conhecem: depois de comer, beber e festejar demais, as famílias vão para o sofá - e então começam a brigar sobre o que querem ver na televisão.

Até 91 por cento das famílias em toda a Europa costumam brigar no Natal para ver quem fica com o controle remoto. Sete por cento delas confessam que essas disputas em torno da TV já chegaram a virar brigas físicas, revelou a pesquisa feita com mais de 2.500 pessoas pela firma de eletrônicos para consumidores Logitech.

Mas, longe de ser fruto de cansaço ou mau-humor decorrentes do Natal, a pesquisa sugere que a disputa pelo domínio do controle remoto possui um caráter nitidamente político.

A pesquisa revelou que, embora 63 por cento das famílias européias considerem que o espaço em que vivem é uma democracia, em muitas delas ocorre uma nítida luta pelo poder quanto o assunto é o entretenimento doméstico.

Apenas metade das famílias britânicas diz que o controle da TV é controlado de modo democrático, e 23 por cento chegaram a afirmar que, quando o assunto é o controle sobre o controle remoto, sua casa mais parece uma ditadura.

A pesquisa também sugere que, enquanto 15 por cento das famílias operam num sistema anárquico, em que a primeira pessoa a agarrar o controle é quem decide o será visto na TV, outras 9 por cento afirmaram que sua família funciona como uma ditadura de cima para baixo: uma pessoa toma as decisões, e outra tem o encargo de realmente mudar de canal.

E, quanto se trata de escolher o que assistir na época do Natal, parece que a velha guerra dos sexos continua viva: 44 por cento dos entrevistados disseram que quem manda no controle é o homem da casa.   Continuação...