Novo museu chileno exibe fardas e medalhas de Pinochet

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008 20:06 BRST
 

SANTIAGO (Reuters) - A Fundação Augusto Pinochet inaugurou na sexta-feira em Santiago um museu com uniformes, medalhas, uma escrivaninha e até a coleção de soldados de chumbo que pertenceram ao falecido ditador.

Pinochet morreu de parada cardíaca em 10 de dezembro de 2006, aos 91 anos, sem nunca ter sido julgado pelas violações aos direitos humanos durante seu regime (1973-90) nem pela existência de contas secretas no exterior.

"Estão representadas todas as coisas com as quais lhe presentearam por fatos importantes que fez, não somente por simpatia. Então para mim é muito bonito que estejam aqui, porque na nossa casa não era possível que todo mundo visse", disse a jornalistas Lucía Hiriart, 84 anos, viúva de Pinochet.

"Estou contente porque é uma maneira de pouco a pouco fazer justiça àquilo que ele representou e fez", acrescentou ela, ao lado de uma farda do ditador.

Os dois filhos mais novos do casal, Jacqueline e Marco Antonio, também participaram da inauguração.

Sob a ditadura de Pinochet, cerca de 3.000 pessoas morreram ou desapareceram, enquanto outras 28 mil sofreram torturas, inclusive a atual presidente, Michelle Bachelet.

(Reportagem de Esteban Medel)