Neil Young mescla novas canções e sucessos antigos em show em NY

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008 16:43 BRST
 

Por Lavinia Jones Wright

NOVA YORK (Billboard) - Por mais estranho que pareça uma banda já estabelecida tocar na abertura de um show, o Wilco foi a escolha perfeita para premiar o público que foi ao Madison Square Garden na segunda-feira por ver Neil Young.

De fato, ver Jeff Tweedy e companhia percorrerem o curto set (nove canções que deixaram o público desesperado por mais) ilustrou o fato de que eles podem muito bem se tornar o Neil Young da geração mais nova.

Suas canções são escritas de forma intricada, mas ainda acessíveis, suas apresentações são ruidosas e têm como referência o rock antigo e o country. Após apresentar um set composto com canções incríveis como "Jesus Etc.", "I'm the Man Who Loves You" e "Spiders (Kidsmoke)", ainda havia dezenas de outras em seu catálogo que a audiência adoraria ouvir.

Os milhares de fãs dedicados o suficiente para ficar quatro horas de pé no parque foram recompensados com uma experiência tão profunda que parecia irreal. Quando Young finalmente pisou no palco com uma camiseta do Frank Zappa, tocou "Love and Only Love", parecia que se estava sendo transportado de volta no tempo para um clube lotado.

Young, 63, claramente não tem intenção de dormir sobre os louros da glória. Além de tocar versões sinceras de clássicos como "Cinnamon Girl", "The Needle and the Damage Done", "Old Man" e "Heart of Gold", Young incluiu na apresentou composições novas como "Off The Road", "Hit the Road and Go To Town" e "Get Behind the Wheel".

Entre as harmonias vocais nostálgicas dos hits dos anos 60 e 70 e os shows politicamente carregados, Young parece ter feito o impossível: capturou o espírito da época (zeitgeist) de duas gerações.