Iraque quer trocar monumentos da era Saddam por obras de arte

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008 10:28 BRST
 

Por Aseel Kami

BAGDÁ (Reuters) - Quase seis anos depois de iraquianos e soldados norte-americanos terem derrubado grandiosos monumentos erguidos por Saddam Hussein, o Iraque planeja construir 100 obras de arte que são consideradas a afirmação de uma nova era de paz.

Antes da invasão liderada pelos Estados Unidos em 2003, todas as estátuas e monumentos em praças públicas faziam referência ao Partido Baath, de Saddam, ou relatavam histórias de suas vitórias militares contra os numerosos inimigos do Iraque.

Como a gigantesca estátua de Saddam que as tropas dos EUA derrubaram da praça Al-Firdous diante de câmeras de TV em abril de 2003, muitas outras imagens do ex-presidente iraquiano, normalmente usando uniforme militar, se espalhavam pelo país.

Diante de um prédio do Ministério da Agricultura, um mural mostrava Saddam cultivando os campos com a espada. No Ministério da Justiça, ele aparecia vestindo beca, segurando a balança da Justiça.

Depois da invasão, a maior parte dos murais foi coberta de tinta e as estátuas acabaram destruídas por iraquianos no caos que se seguiu. Algumas vezes, as estátuas foram alvo de saques por causa de seu metal.

Outras ainda permanecem. Entre elas está uma estátua de bronze de soldados iraquianos em um tanque, segurando uma bandeira do Iraque para simbolizar a vitória sobre o Irã durante a sangrenta guerra entre os dois países, de 1980 a 1988.

No superprotegido complexo diplomático da Zona Verde, dois pares de armas gigantes emergem do solo, a centenas de metros uns dos outros, sustentando espadas cruzadas para formar um arco. As mãos de Saddam serviram de molde para as peças, nas quais foram utilizadas 160 toneladas de bronze.

O Iraque quer substituir esses monumentos com símbolos da paz.   Continuação...

 
<p>Soldados tiram foto diante do monumento "espadas cruzadas", em que espadas se cruzam nas m&atilde;os de Saddam. REUTERS/Erik de Castro (IRAQ)</p>