Editora cancela livro sobre história de amor durante Holocausto

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008 15:23 BRST
 

LOS ANGELES (Reuters) - Uma editora suspendeu a publicação de um livro de memórias sobre o Holocausto, com uma surpreendente história de amor, que ganhou destaque no programa de televisão de Oprah Winfrey. A decisão foi tomada após o autor admitir ter inventado algumas partes, aumentando a lista de biografias fabricadas.

Berkley Books, do grupo Penguin, disse ter cancelado "Angel at the Fence, The True Story of a Love that Survived" depois que o escritor Herman Rosenblat admitiu a sua agente Andrea Hurst ter inventado partes do livro.

Rosenblat, de 79 anos, apareceu duas vezes no programa de Oprah para contar a história de como conheceu sua mulher e de como ela jogou maçãs sobre a cerca em um campo de concentração nazista na Alemanha. Entretanto, veio à tona que ele teria inventado a história para um concurso de um jornal há uma década.

"A Berkley vai pedir que o autor e a agente devolvam todo o dinheiro que eles receberam por este trabalho", disse Craig Burke, porta-voz da Berkley Books em um comunicado.

O livro, que deveria ser lançado em fevereiro, começou a ser criticado após vários estudiosos apontarem que as descrições dos campos feitas por Rosenblat eram imprecisas e que jogar alimentos por uma cerca era algo impossível.

Harris Salomon, presidente da Atlantic Oversear Pictures, ainda mantém os planos de fazer um filme com orçamento de 25 milhões de dólares sobre a história de Herman Rosenblat, com as filmagens a partir de março na Hungria.

"Há algumas coisas na vida que você não questiona, como um sobrevivente do Holocausto. Eu acredito nisso", disse Salomon, que já conversou com Rosenblat desde que o livro foi cancelado.

"Em essência, haverá duas histórias, a fantasia que ele criou em sua mente entrecortada com a vida real de Herman Rosenblat, um homem que inventou isso", disse Salomon. "Eu vou retratá-lo como alguém que fez algo muito errado."

Em 2006, o autor norte-americano James Frey admitiu ter fabricado partes-chave de sua biografia sobre drogas e álcool "A Million Little Pieces", no topo da lista de livros de não-ficcão nos Estados Unidos em 2005. Em fevereiro, Misha Defonseca admitiu que grande parte de sua autobiografia, sobre uma jovem resgatada por lobos enquanto se escondia dos nazistas durante a guerra an Europa, foi inventada.

"Love and Consequences", um livro de memórias de Margaret B. Jones sobre sua vida em um bairro violento de Los Angeles, se revelou uma invenção e cópias do livro que haviam sido distribuídas acabaram sendo recolhidas neste ano.

(Texto de Belinda Goldsmith)