Vendas de discos despencam ainda mais em 2008

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009 15:30 BRST
 

Por Dean Goodman

LOS ANGELES (Reuters) - As vendas de discos caíram pela sétima vez consecutiva em oito anos em 2008, e o crescimento do setor digital, uma das poucas áreas de otimismo na indústria fonográfica, foi mais lento.

As vendas totais de discos caíram 14 por cento, para 428,4 milhões de dólares, durante o período que terminou que 28 de dezembro, de acordo com números do varejo coletados pela empresa de pesquisa Nielsen SoundScan e divulgados esta semana.

Com a queda de 15 por cento em 2007, o número representa mais uma baixa recorde desde que a empresa começou a monitorar as vendas em 1991. As vendas despencaram 45 por cento desde a maior alta do setor, em 2000, de 785,1 milhões de unidades vendidas.

Acredita-se que as quedas ocorreram por causa da pirataria na Internet e concorrência de outras formas de entretenimento, como videogames.

No ano passado, o setor também enfrentou a recessão econômica nos Estados Unidos.

Os downloads digitais em lojas online como o iTunes, da Apple, passaram a ter maior importância para o setor, mas sem o crescimento impressionante de anos anteriores.

A venda de faixas de música subiu 27 por cento, para um recorde de 1,07 bilhão de unidades, mas o crescimento foi mais lento do que o de 2007, quando essas vendas dispararam 45 por cento. As vendas de álbuns completos subiram 32 por cento, para 65,8 milhões de unidades, depois da alta de 53 por cento em 2007.

Os toques de celular, outro novo setor importante para a indústria, caíram 33 por cento, para 43,8 milhões de unidades. Apenas um toque de celular vendeu mais de 2 milhões: a canção "Lollipop", do rapper Lil Wayne. Em 2007, três toques ultrapassaram essa marca.   Continuação...