Poeta turco Hikmet terá cidadania de volta

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009 16:37 BRST
 

ANCARA (Reuters) - A Turquia anunciou na segunda-feira que vai devolver a cidadania ao poeta turco Nazim Hikmet, que foi processado por suas posições de esquerda e morreu no exílio em Moscou, em 1963, depois de ser declarado traidor.

Hikmet, cujos versos revolucionaram a poesia turca nos anos 1930, é considerado o maior poeta turco do século 20. Artistas turcos, incluindo o Prêmio Nobel de Literatura Orhan Pamuk, dizem há muito tempo que o caso dele é um exemplo da repressão movida pela Turquia contra os intelectuais.

O poeta, cuja obra chegou a ser proibida em seu país e foi traduzida para 50 línguas, passou anos na prisão na Turquia e, em 1959, foi destituído de sua cidadania turca por ser comunista.

Seus admiradores vêm lutando há muito tempo por sua reabilitação, dizendo que ela assinalaria que a Turquia superou as divisões políticas do passado, quando batalhas campais entre esquerdistas e nacionalistas nos anos 1970 e 1980 desencadearam golpes militares.

O vice-primeiro-ministro e porta-voz do governo Cemil Cicek, que anunciou a medida, disse que cabe à família de Hikmet decidir se seus restos mortais devem ser levados de Moscou para a Turquia.