Quincy Jones segue exemplo de Bono e vira colunista de jornal

terça-feira, 20 de janeiro de 2009 18:45 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - O compositor e produtor musical premiado com o Grammy Quincy Jones está seguindo o exemplo de Bono, o vocalista do U2, e vai se tornar colunista convidado de jornais, num momento em que estes buscam novas maneiras para atrair leitores e sobreviver à queda nos anúncios.

Aos 75 anos de idade, Jones, um dos maiores vencedores de Grammy da história -- já conquistou 27 --, iniciou uma nova série de colunas nos jornais do grupo Tribune na segunda-feira, oferecendo sua visão sobre Barack Obama no momento em que os Estados Unidos comemoravam o Dia de Martin Luther King.

A The Tribune Company disse que o artigo de Quincy Jones será o primeiro de uma série de artigos especiais escritos por figuras reconhecidas da música e das artes e que sairão em todos os jornais e Web sites do grupo, incluindo o Los Angeles Times e o Chicago Tribune.

"Um número muito pequeno de artistas, como Quincy Jones, transcende seu sucesso na música e exerce impacto profundo sobre a cultura americana", disse Lee Abrams, executivo-chefe de inovação da Tribune Company e autor da idéia.

"Achamos que esses ícones têm visões de vida que garantirão leituras interessantes e incomuns, além de vislumbres de suas vidas que não são encontrados nos retratos comumente traçados deles, orientados à sua condição de celebridades."

No artigo, Quincy Jones conta que assistiu à eleição americana no ano passado, resignando-se a moderar suas emoções, apesar de acreditar que Obama seria a melhor pessoa para exercer a presidência.

"Mas, como homem negro na América, eu sabia pela experiência que não deveria deixar que aquilo que eu queria que acontecesse se distanciasse demais da realidade do que eu sabia que poderia acontecer", escreveu Jones, que é membro fundador do Instituto da Música Negra Americana.

A coluna de Quincy Jones saiu menos de uma semana depois de Bono começar a escrever uma coluna de opinião no The New York Times.

Mas Bono, de 48 anos, que é conhecido por fazer campanha contra a pobreza e a Aids na África, optou por não dedicar sua primeira coluna às causas que defende, mas a seu mentor, Frank Sinatra.   Continuação...