Polícia das Bahamas investiga acusação de extorsão a Travolta

sábado, 24 de janeiro de 2009 12:26 BRST
 

Por John Marquis

NASSAU (Reuters) - As autoridades das Bahamas estão investigando uma suposta tentativa de extorsão contra o ator John Travolta, em um caso que já levou uma senadora a ser presa, embora ainda não haja acusações formais contra ela, disse a polícia na sexta-feira.

O comissário de polícia Reginald Ferguson afirmou que seus agentes estavam investigando uma queixa de extorsão apresentada por Travolta.

A polícia não informou mais detalhes sobre a natureza da acusação. Informações da imprensa dizem que se trata de uma ameaça de vender fotografias do cadáver do filho do ator, Jett, caso Travolta se recusasse a pagar por elas.

Jett Travolta, de 16 anos, morreu no dia 2 de janeiro devido a um ataque, após ter sido encontrado inconsciente na casa da família no centro turístico Old Bahama Bay.

A senadora Pleasant Bridgewater foi presa, mas não foram feitas acusações formais contra ela, informou a polícia. Sob as leis da Bahamas, os policiais podem deter alguém por 48 horas sem ter uma acusação formal.

O comissário assistente da polícia Marvin Dames afirmou que um funcionário médico procurado para interrogatórios se apresentou voluntariamente, acompanhado de um advogado.

O parlamentar Obie Wilchcombe, ex-ministro do Turismo e amigo da família de Travolta, estava sendo interrogado nos quartéis generais da polícia em Freeport, onde Bridgewater está presa, afirmou Dames.

"O senhor Wilchcombe é uma dessas pessoas com as quais precisamos falar para ver se pode nos ajudar nas investigações," disse Dames.

Jett Travolta foi encontrado inconsciente no banheiro de casa após sofrer um ataque. Seu pai e paramédicos tentaram reanimá-lo, mas ele foi dado como morto depois de ser levado de ambulância ao hospital de Freeport.