Em tempo de recessão, Broadway tenta manter seu público

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009 20:07 BRST
 

Por Michelle Nichols

NOVA YORK (Reuters) - A Broadway lançou nesta sexta-feira uma campanha para atrair público, num momento em que os gastos com entretenimento estão entre as primeiras vítimas nos orçamentos pessoais.

A Broadway League, entidade que reúne produtores da rua dos teatros de Nova York, juntou-se à NYC & CO, entidade municipal de marketing e turismo, para uma campanha impressa, nas ruas e na TV divulgando 19 novos espetáculos com estreia prevista para os próximos três meses.

Na primeira terça e quarta-feira de cada mês, menores de 18 anos ganharão um ingresso grátis quando acompanhados de um adulto pagante -- antes, a promoção só ocorria uma vez por ano.

"Estamos em tempos econômicos mais difíceis, o mundo está cheio de escolhas, e nosso trabalho é lembrar as pessoas de que a Broadway é uma escolha extraordinária", disse George Fertitta, executivo-chefe da NYC & Co..

Ele disse que a recessão global deve afetar o turismo internacional, mas que eis aí uma grande oportunidade para que Nova York e a Broadway atraiam mais norte-americanos.

Em 2008, a BroBroadwaywadway faturou 941 milhões de dólares, e em 2007, quando houve uma greve de 19 dias, arrecadou 938 milhões de dólares, segundo a Broadway League. Em 2008, 37 espetáculos foram tirados de cartaz, mesmo número que em 2006. Em 2007, 32 shows deixaram os palcos.

Só no primeiro mês deste ano, 12 espetáculos foram cancelados, e vários outros devem terminar nas próximas semanas. Charlotte St. Martin, diretora-executiva da Broadway League, disse que devido a isso as vendas de ingressos também caíram muito, mas que "a lotação nos shows que estão abertos está indo muito bem".

De acordo com ela, dois terços dos espetáculos descontinuados eram programações por tempo limitado.   Continuação...

 
<p>A Broadway lan&ccedil;ou nesta sexta-feira uma campanha para atrair p&uacute;blico, num momento em que os gastos com entretenimento est&atilde;o entre as primeiras v&iacute;timas nos or&ccedil;amentos pessoais. . REUTERS/Chip East (UNITED STATES) (Newscom TagID: rtrphotosthree818626) [Photo via Newscom]</p>