6 de Fevereiro de 2009 / às 14:52 / em 9 anos

Steve Martin se aventura na música como tocador de banjo

<p>Famoso nos palcos e nos filmes como comediante de situa&ccedil;&otilde;es absurdas, Steve Martin agora se aventura no mundo da m&uacute;sica no &aacute;lbum de bluegrass "The Crow: New Songs for the Five-String Banjo", no qual ele toca banjo.Lucas Jackson</p>

Por Christine Kearney

NOVA YORK (Reuters) - Famoso nos palcos e nos filmes como comediante de situações absurdas, Steve Martin também exercitou sua criatividade em uma arena mais séria, escrevendo peças de teatro, romances, artigos e um livro de memórias.

Agora se acrescenta a isso uma investida igualmente séria no mundo da música no álbum de bluegrass "The Crow: New Songs for the Five-String Banjo", no qual ele toca banjo.

Nativo do Texas e criado na Califórnia, Martin, cujas comédias escrachadas o tornaram um sucesso nos anos 1980 em filmes como "O Panaca" e "Um Espírito Baixou em Mim", lançou na semana passada seu primeiro disco totalmente musical.

O lançamento aconteceu pouco antes de seu mais recente filme, "A Pantera Cor de Rosa 2", estrear nos cinemas norte-americanos, nesta sexta-feira, e internacionalmente no Festival de Cinema de Berlim, na semana que vem.

Recentemente Martin disse à imprensa que seu CD de banjo, que traz participações de artistas como Dolly Parton, sairia agora ou nunca.

"Pensei que se não o fizesse agora, meus dedos poderiam perder a velocidade ou eu poderia esquecer as músicas", disse Martin, de 63 anos, depois de lembrar sua luta para se tornar um músico em um clube de Manhattan quando tinha seus vinte e poucos anos.

"Abrimos e ninguém, nem uma pessoa apareceu. Procurei o dono e disse 'Quer saber? Você não tem que me pagar, não tem que me contratar, eu simplesmente vou embora', mas ele disse 'Não, não, vamos tentar mais uma noite'. Na noite seguinte ninguém apareceu, e aí ele disse 'tudo bem', e eu fui embora", disse Martin aos risos.

Martin, que já trabalhou como mágico na Disneylândia, produziu dois discos de comédia de sucesso, entre eles "A Wild and Crazy Guy", de 1978.

Mas o novo álbum é seu primeiro totalmente dedicado à música, e traz 15 composições originais. Ele começou a tocar quando tinha 17 anos.

O músico, que na vida real exibe uma postura tranquila que contrasta com alguns de seus papéis mais ensandecidos, planeja continuar a atuar e participar de grandes produções que atendem a um público amplo, como a série da "Pantera Cor de Rosa". O novo filme traz no elenco John Cleese, Andy Garcia, Jeremy Irons e o ator francês Jean Reno.

"Ter que ir para o trabalho cedo e trabalhar duro, concentrado, mantém a mente viva", disse ele. "E claro que também tem a maquiagem."

Em "A Pantera Cor de Rosa 2", ele volta ao papel do atrapalhado inspetor de polícia Jacques Clouseau, outrora interpretado pelo ator britânico Peter Sellers.

Martin disse a repórteres que o humor do filme não deve ser visto como pastelão, que ele dizer ser "uma palavra totalmente errada", porque muito da comédia é fruto de problemas de idioma e situações constrangedoras. Mas aceitou que se trata de uma "comédia física" com tombos, e acrescentou que precisou estar em boa forma.

"Em qualquer outra profissão, quando você é bem sucedido acaba em um terno atrás de uma mesa. Quando você tem sucesso no showbusiness, termina vestido de palhaço montado em um elefante."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below