Crítica se divide sobre Will Ferrell no papel de Bush

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009 20:28 BRST
 

Por Christine Kearney

NOVA YORK (Reuters) - A imprensa se dividiu entre elogios e críticas à estreia do espetáculo na Broadway em que o comediante Will Ferrell parodia o ex-presidente George W. Bush, como já fazia no programa de TV "Saturday Night Live."

Muitos críticos consideraram que o espetáculo "Seja Bem-Vinda, América - Uma Última Noite Com George W. Bush" nada acrescenta ao humor popularesco que ele desenvolveu em filmes como "Um Duende em Nova York", "Ricky Bobby - A Toda Velocidade" e "Escorregando para a Glória".

Mesmo assim, acham que o espetáculo fará sucesso graças à fama e carisma de Ferrell.

Ben Brantley, do The New York Times, disse que o espetáculo cresce quando Ferrell abre mão da pura imitação e entra para o domínio do absurdo, exibindo "gênio cômico" e um "'stand-up' inspirado".

"Mas afinal esta produção tem menos a ver com o legado de George W. Bush do que com a persona cômica que foi aperfeiçoada por Will Ferrell", escreveu. "Às vezes é realmente engraçado, e às vezes meio que cai. Eu ri, eu bocejei."

Frank Scheck, do New York Post, escreveu que Ferrell mostra mais uma vez "um humor em geral pouco sofisticado", do qual não se pode dizer que seja "uma sátira política inovadora".

"É o arroz-com-feijão teatral para as plateias da Broadway que desejam ver ao vivo um dos seus comediantes favoritos", afirmou.

Ele disse que Ferrell, de 41 anos, deve aposentar o personagem ao final da montagem da peça, em março. As reaparições dele interpretando Bush no "Saturday Nght Live", antes da eleição de 4 de novembro, geraram uma onda de popularidade para o ator.

"Fãs incondicionais ou mesmo casuais de Ferrell não se sentirão enganados", disse David Rooney, da Variety, para quem o ator presta a Bush uma "despedida catártica, quase purificadora."

Já Elysa Gardner, no USA Today, considerou o espetáculo "sem graça e inútil". "Os tiros de Ferrell passam longe e não machucam. A missão dele deveria ter sido abortada."