Keanu Reeves agita vida de aposentada em filme cheio de estrelas

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009 13:41 BRST
 

BERLIM (Reuters) - Keanu Reeves representa um jovem balconista tatuado que vira de ponta-cabeça a tranquila vida suburbana de sua vizinha no novo filme de Rebecca Miller, "The Private Lives of Pippa Lee".

Pippa Lee (Robin Wright Penn) acaba de mudar-se para uma comunidade de aposentados com seu marido, Herb, editor de sucesso que é 30 anos mais velho. Sua vida gira em torno da cozinha e da decoração de sua casa.

Mas, enquanto faz amizade com vizinhas mais velhas e se matricula numa aula de cerâmica com mulheres que têm idade para ser sua mãe, ela começa a questionar seu papel de respeitável esposa, mãe e dona-de-casa.

A chegada do personagem de Keanu Reeves -- Chris, um homem descabelado de 35 anos que anda num furgão decrépito e tem uma enorme tatuagem de Jesus no peito -- intensifica sua angústia existencial.

"Chris faz parte do sonho dela", disse Reeves a jornalistas no Festival de Cinema de Berlim, onde "The Private Lives of Pippa Lee" -- estrelado também por Monica Bellucci, Winona Ryder, Julianne Moore e Alan Arkin no papel do marido de Pippa Lee -- foi exibido esta semana.

"Neste filme, a liberdade quer dizer a possibilidade de viver experiências, de encontrar-se", disse o ator, que apareceu barbado no tapete vermelho em Berlim.

Reeves disse que não conseguiu recusar o convite feito por Rebecca Miller, filha do dramaturgo Arthur Miller. O filme é baseado no romance homônimo da própria diretora.

A atriz coadjuvante Zoe Kazan, cujo avô, o cineasta Elia Kazan, trabalhou com Arthur Miller, disse à Reuters: "O filme tem significado especial, já que meu avô e o pai de Rebecca foram colaboradores e companheiros por algum tempo. Então significou muito para mim poder trabalhar com ela."

Robin Wright Penn disse que o elenco feminino forte foi "uma benção".

No filme, Rebecca Miller conduz o espectador numa trajetória que vai da vida de Pippa Lee como esposa para sua infância e adolescência, fazendo-o testemunhar os traumas que a personagem mantém escondidos.

Em 2005 a diretora levou a Berlim "O Mundo de Jack e Rose", estrelado por seu marido, Daniel Day-Lewis. Indagada sobre possíveis semelhanças entre Lewis e Reeves, ela respondeu: "Ambos são atores muito engajados e talentosos. Mas são muito diferentes."