Rainhas estreantes lutam para brilhar entre veteranas no Rio

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009 13:49 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Elas não somam pontos para suas escolas na avaliação dos jurados, mas nenhuma agremiação ousa desfilar na Marques de Sapucaí sem uma linda rainha de bateria à frente de seus ritmistas.

Este ano, três novatas tentarão deixar sua marca entre as beldades que concentram a maior parte dos holofotes, mas Paola Oliveira, Valesca "Popozuda" Santos e Juliane Almeida terão que mostrar mais do que samba no pé para desbancar veteranas como Luma de Oliveira, Luisa Brunet e Viviane Araújo.

Ao desfilar numa das posições de maior prestígio do Carnaval, as rainhas de bateria são vistas como responsáveis por levantar a platéia para a passagem do coração da escola.

Na maioria das vezes, as fantasias são minúsculas, e os sacrifícios para que o corpo esteja o mais perto possível da perfeição vão desde dietas superígidas até intervenções cirúrgicas.

"Não como nem gordura, nem açúcar, nem sal. E faço academia todos os dias pelo menos uma hora", disse à Reuters Juliane Almeida, de 24 anos, que herdou o posto de rainha da Viradouro das mãos da atriz Juliana Paes.

"Só penso em fazer o meu melhor na avenida. Cada rainha tem o seu estilo, algumas já são bastante reconhecidas, mas acho que há espaço para todas. É uma posição especial, não é para qualquer uma", acrescentou a dançarina do grupo É o Tchan, que ainda fará apresentações no Norte e Nordeste com a banda de axé, na véspera do desfile, antes de voltar ao Rio para o Carnaval.

Entre as rainhas estreantes, a atriz Paola Oliveira é a que carrega a maior responsabilidade nas costas. Depois de fazer sucesso na televisão e no cinema, a paulista substituirá na Grande Rio a também atriz Grazi Massafera.

Dentro da escola de Duque de Caxias, que tradicionalmente tem madrinhas com fama conquistada na TV, Paola surpreendeu pela simpatia e simplicidade, segundo um membro da agremiação.   Continuação...

 
<p>Foto de arquivo de Luma de Oliveira, rainha de bateria da Caprichosos de Pilares em 2005. Este ano ela desfila pela Portela. REUTERS/Sergio Moraes</p>