Coldplay, Bono e Take That tocam juntos em show de caridade

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009 13:16 BRT
 

Por Mike Collett-White

LONDRES (Reuters) - Não é sempre que o Coldplay, uma das maiores bandas do mundo, concorda em fazer vocais para um veterano vocalista de boyband como Gary Barlow, do Take That.

Mas foi exatamente o que aconteceu na madrugada da quinta-feira, quando os roqueiros ingleses se apresentaram no palco com Barlow, e, mais tarde, com Bono, vocalista do U2, e a banda americana The Killers, num show beneficente após a cerimônia de entrega dos prêmios BRIT.

O evento foi feito em apoio à organização beneficente War Child, que protege crianças que vivem nas zonas de guerra mais perigosas do mundo. A organização acaba de lançar um álbum compilação, "Heroes".

O Coldplay deixou para trás sua decepção no BRITs, no qual foi indicado para quatro prêmios mas não recebeu nenhum, para apresentar-se diante de 2.000 pessoas no O2 Shepherd's Bush Empire, em Londres.

"A banda a ser vista no momento é a Take That", disse Chris Martin, do Coldplay. O Take That foi um dos grupos britânicos de maior sucesso nos anos 1990 e, depois de unir-se novamente, voltou a liderar as paradas.

"Acabamos de voltar do Japão e de perder todos os BRITs. Francamente, o dia foi péssimo", brincou o roqueiro no final da apresentação, na qual a banda tocou vários sucessos, incluindo "Yellow".

Barlow cantou um clássico do Take That, "Back For Good", com o Coldplay fazendo a música e Chris Martin os vocais de fundo, para deleite da multidão.

O concerto foi encerrado com "All These Things That I've Done", do The Killers, cantado pela própria banda, o Coldplay, Barlow e Bono, líder da banda irlandesa U2.

O concerto, que começou no final da noite da quarta-feira, foi o destaque da noite para muitos fãs e jornalistas que tinham acompanhado a entrega dos prêmios BRIT, mais cedo. A cantora galesa Duffy recebeu três prêmios, incluindo o cobiçado troféu de melhor álbum britânico.

 
<p>Chris Martin, do Coldplay, se apresenta durante entrega dos pr&ecirc;mios BRIT, em Londres. REUTERS/Dylan Martinez</p>