20 de Fevereiro de 2009 / às 14:43 / 9 anos atrás

N.Y. Post pede desculpas por charge com chimpanzé

<p>Manifestante em NY segura jornal com charge que, segundo cr&iacute;ticos, comparou o presidente Barack Obama a um chimpanz&eacute;.Brendan McDermid</p>

Por Edith Honan

NOVA YORK (Reuters) - O The New York Post pediu desculpas na quinta-feira aos que se sentiram ofendidos por uma charge que, segundo críticos, foi racista porque comparou o presidente Barack Obama a um chimpanzé.

O jornal reconheceu que a charge publicada na quarta-feira causou controvérsia porque afro-americanos e outros a viram como representação de Obama.

"Essa certamente não foi a intenção; àqueles que se sentiram ofendidos com a imagem, pedimos desculpas", disse o jornal em editorial intitulado "Aquela Charge" publicado em seu site.

"A intenção foi ironizar um pacote de estímulo federal mal redigido. Ponto final."

A charge de um policial atirando num chimpanzé fez referência a um caso real em que um chimpanzé de estimação foi abatido a tiros, esta semana, em Connecticut. Um policial na charge dizia: "Vão ter que encontrar outra pessoa para redigir o próximo pacote de estímulo econômico."

A charge foi publicada um dia depois de Obama sancionar o pacote de estímulo econômico de 787 bilhões de dólares que ele vinha promovendo fortemente. Críticos interpretaram o chimpanzé morto na charge como referência a Obama, que em 20 de janeiro se tornou o primeiro presidente negro dos Estados Unidos.

Manifestantes liderados pelo ativista dos direitos civis Al Sharpton gritaram "Acabem com o racismo agora" diante da sede da empresa dona do jornal, no centro de Manhattan, na quinta-feira. Eles pediram a prisão de Rupert Murdoch, cujo conglomerado internacional de mídia, o News Corporation, é dono do New York Post.

O jornal inicialmente defendeu a charge como paródia da política de Washington, mas Sharpton disse que ela explorou uma imagem potente na história do racismo contra os negros.

"Acho que eles pensaram que somos chimpanzés", disse Sharpton. "Mas vão descobrir que somos leões".

Em comunicado divulgado na noite de quinta, Sharpton disse que os grupos que protestam contra a charge vão realizar uma manifestação previamente marcada diante da sede do Post na tarde de sexta-feira e vão decidir sobre a resposta a dar ao editorial do Post.

Ele disse: "Embora pensemos que pedir desculpas aos que se sentiram ofendidos foi a coisa certa a fazer, o jornal parece querer atribuir a culpa aos que se sentiram ofendidos, em lugar de assumir a responsabilidade pelo que fez."

Críticos disseram que a mensagem racista da charge estava clara.

"Seria preciso viver em outro tempo ou mundo para não saber o que significou", disse o manifestante Charles Ashley, de 25 anos, modelo que afirmou não acreditar que a charge tenha sido uma piada política inocente.

Outros disseram que a charge brinca com o assassinato de Obama, possibilidade que, afirmaram, preocupa muitos americanos.

"O simples fato de mostrarem um macaco com ferimentos de bala no peito sugere a idéia de assassinato", disse o empreiteiro Peter Aviles, 48 anos.

Policiais em Stamford, Connecticut, mataram a tiros na segunda-feira um chimpanzé de 90 quilos depois de o animal de estimação ter quase matado um amigo de sua dona e ter atacado um carro de polícia. O chimpanzé Travis, que no passado chegou a atuar em comerciais de TV, estava tomando medicamentos para tratar a doença de Lyme.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below