"Valsa com Bashir" é boa aposta para Oscar de filme estrangeiro

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009 13:20 BRT
 

Por Alex Dobouzinskis

LOS ANGELES (Reuters) - O filme antiguerra "Valsa com Bashir" pode dar a Israel no domingo seu primeiro Oscar, contrariando as tendências históricas da Academia na categoria de filme em língua estrangeira que, até hoje, evitou premiar animações ou documentários.

Alguns observadores do Oscar dizem que a combinação inovadora de cenas animadas e documentário do filme de não ficção ajuda, e não prejudica, suas chances de conquistar um dos prêmios mais importantes do cinema mundial, que será entregue em Hollywood no domingo.

O diretor Ari Folman gravou conversas com israelenses reais que lutaram na invasão israelense do Líbano em 1982 e retratou em animação os acontecimentos trágicos e violentos descritos nas fitas de áudio.

"De certo modo, é surpreendente que o filme seja visto como tendo boas chances de ganhar, devido ao tema incrivelmente áspero", disse Johanna Blakely, especialista em cinema do Centro Norman Lear da Universidade do Sul da Califórnia.

"Mas acho que a razão principal de sua ascensão é seu estilo, por usar animação para fazer um documentário", disse ela. "Por alguma razão, essa combinação híbrida acabou favorecendo o filme."

"Valsa com Bashir" recebeu um Globo de Ouro e foi considerado o melhor filme de 2008 pela Sociedade Nacional de Críticos de Cinema dos Estados Unidos.

Se o filme receber o Oscar, será o primeiro filme israelense, o primeiro documentário e o primeiro trabalho de animação a conseguir o Oscar de melhor filme em língua estrangeira.

"Valsa com Bashir" teve distribuição limitada nos cinemas norte-americanos, como também é o caso do candidato francês "Entre os Muros da Escola", visto como o segundo mais provável vencedor. Filme naturalista ao extremo, "Entre os Muros" acompanha os esforços de um professor para educar adolescentes imigrantes.   Continuação...