Rainha Luma retorna soberana à Sapucaí e funkeira surpreende

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009 04:21 BRT
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Luma de Oliveira voltou à Sapucaí depois de três anos, Luiza Brunet mostrou seu carisma pela 25a vez na avenida e uma funkeira "popozuda" ganhou o público ao rebolar com as mãos nos joelhos.

As bajuladas rainhas de bateria das escolas de samba brilharam intensamente na noite de segunda-feira nos desfiles do Carnaval do Rio de Janeiro, atraindo multidões de fãs, fotógrafos e seguranças por onde passavam no sambódromo.

"A rainha de bateria é a embaixatriz da escola. É ela que tem a responsabilidade de representar a comunidade e levantar o público para a entrada do coração da escola", disse a jornalistas a modelo Luiza Brunet, da Imperatriz Leopoldinense, que em 25 anos de avenida desfilou pela 24a vez como rainha.

Apesar de desfilar numa das posições de maior prestígio do Carnaval, a rainha de bateria não soma ponto algum para sua escola na avaliação dos jurados. No entanto, nenhuma escola deixa de se preocupar bastante com ela.

Ao contrário dos demais componentes, elas podem chegar à Sapucaí a poucos minutos de entrar na avenida. Suas fantasias são retocadas com todo cuidado já na concentração e, durante o desfile, um grande espaço é aberto entre as alas para que elas se tornem o centro das atenções.

"Hoje toda menina quer ser rainha de bateria. É uma posição que desperta um fascino muito grande", acrescentou Luiza, que atravessou a Sapucaí com vigor apenas dois dias depois de ter passado mal. Ela sofreu uma queda de pressão e acabou desfalcado o desfile da Rocinha, na divisão de acesso, do qual participaria.

Rainha de bateria pela primeira vez, a cantora e dançarina de funk Valesca "Popozuda" Santos, da Porto da Pedra, abriu a noite das rainhas de forma inovadora. Ao som da bateria da escola, Valesca não economizou nos passos do ritmo que a fez famosa, para delírio dos fãs da música-hit nas favelas da cidade.

Valesca, que disse ter como modelo de rainha de bateria Viviane Araújo, do Salgueiro -- que mais uma vez brilhou na passarela com charme e sensualidade também nesta madrugada -- aprendeu a dançar funk antes de sambar, mas não decepcionou em sua primeira apresentação na Sapucaí.   Continuação...

 
<p>Luma de Oliveira, rainha de bateria da Portela, samba durante a segunda noite de desfiles no Rio de Janeiro, na madrugada de ter&ccedil;a-feira. REUTERS/Bruno Domingos</p>