Comprador chinês se nega a pagar por bronzes roubados da China

segunda-feira, 2 de março de 2009 18:36 BRT
 

Por Ben Blanchard

PEQUIM (Reuters) - Um colecionador de arte chinês identificou-se na segunda-feira como autor dos lances vencedores no leilão realizado em Paris na semana passada de duas esculturas levadas de Pequim no século 19, mas disse que, como patriota, não tem a intenção de pagar por elas.

A Christie's, que provocou indignação na China por promover o leilão, não informou que ações tomará contra o autor dos lances, dizendo apenas que as esculturas de bronze das cabeças de um rato e um coelho não serão entregues ao comprador enquanto o pagamento não for feito.

Cao Mingchao, colecionador e assessor de uma fundação privada chinesa que procura recuperar tesouros saqueados, disse que foram deles os lances vencedores para os dois bronzes, vendidos por 15 milhões de euros (20 milhões de dólares) cada num leilão da coleção de arte do falecido estilista Yves Saint Laurent.

Mas Cai disse que as relíquias não deveriam ter sido oferecidas em leilão, já que foram roubadas do Palácio de Verão de Pequim, que foi demolido em 1860 por forças francesas e britânicas.

"Acho que qualquer chinês teria feito o mesmo naquele momento. Foi apenas o fato de que a oportunidade se apresentou para mim. Eu estava apenas cumprindo minha responsabilidade", disse Cai, que em 2006 pagou mais de 13 milhões de dólares por uma estátua de ouro de Buda num leilão em Hong Kong.

Uma porta-voz da Christie's, em Hong Kong, disse que os objetos só são entregues aos compradores depois de recebido o pagamento integral. Mas a casa de leilões se negou a declarar que medidas pode tomar.

O parceiro de Yves Saint Laurent, Pierre Bergé, que provocara a cólera de Pequim ao declarar, antes do leilão, que devolveria os bronzes se a China autorizasse o retorno do líder espiritual tibetano exilado, o Dalai Lama, fez pouco caso da controvérsia.

"Não conseguiram a devolução (dos bronzes). Então imagino que tenham pressionado um comprador", disse ele à rádio France Info, acrescentando que, se o comprador não pagar, não receberá os bronzes.   Continuação...

 
<p>Escultura chinesa leiloada na semana passada em Paris, de cole&ccedil;&atilde;o de arte do falecido estilista Yves Saint Laurent. Cao Mingchao, o comprador, disse que n&atilde;o pagar&aacute; pelas obras adquiridas por ele. REUTERS/Regis Duvignau</p>