Recessão provoca cortes no festival de Tribeca

segunda-feira, 9 de março de 2009 20:24 BRT
 

Por Christine Kearney

NOVA YORK (Reuters) - O festival nova-iorquino de Tribeca anunciou na segunda-feira a sua programação para 2009, que está mais enxuta por causa da recessão nos EUA. O evento marcará a volta de Woody Allen à cidade como diretor, após um hiato de cinco anos.

O festival, um dos mais importantes dos EUA, terá 86 longas entre 22 de abril e 3 de maio. No ano passado, foram 120. O número de patrocinadores e salas também caiu.

"Com o atual clima econômico como está, tivemos de olhar bem de perto nossos gastos para o festival deste ano", disse a diretora-executiva Nancy Schafer.

O nova-iorquino Allen abrirá o festival com a estreia mundial do seu "Whatever Works", estrelado por Larry David. Embora tenha ficado famoso por suas histórias passadas na cidade, o cineasta tem realizado seus últimos filmes no exterior.

O festival, que teve o ator Robert De Niro como um dos fundadores, surgiu na esperança de revitalizar o bairro de Tribeca depois dos atentados de 11 de setembro de 2001.

Na edição deste ano, haverá documentários e filmes de ficção dos EUA, do Irã, da Irlanda, da Austrália e do Brasil.

Os documentários especialmente encontram no Tribeca uma vitrine privilegiada. "Homem Equilibrista", vencedor do Oscar neste ano, passou no festival em 2008.

O premiado diretor brasileiro José Padilha ("Tropa de Elite") leva à edição deste ano o seu documentário "Garapa", sobre a fome no Brasil. O país também é retratado em "Only When I Dance", produção britânica sobre bailarinos cariocas de baixa renda.   Continuação...