Paixão pela ópera é comparada a amor à primeira vista

quarta-feira, 18 de março de 2009 10:54 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - Os aficionados pela ópera dizem que sentem algo como amor à primeira vista, começando com uma emoção inicial explosiva, revelou um estudo feito nos EUA.

O pesquisador Claudio Benzecry, professor assistente de sociologia da Universidade de Connecticut, passou as temporadas de ópera de 2002 a 2005 observando e entrevistando fãs que assistiram aos espetáculos no Teatro Colón, em Buenos Aires. Seu estudo foi publicado online no periódico Qualitative Sociology.

Ele concentrou a atenção no público de classe média diversificado que assiste aos espetáculos nos setores superiores, mais baratos, do teatro. São pessoas que não cresceram ouvindo ópera. Seu interesse era descobrir como os fãs desenvolvem a paixão pela ópera.

Benzecry disse que a maioria dos fãs entrevistados descreveu a atração intensa sentida na primeira vez em que assistiram a uma ópera como algo explosivo, que teve efeitos físicos intensos e duradouros - algo não muito diferente do amor à primeira vista.

Então começa a fase do aprendizado, durante a qual os fãs levam vários anos para descobrir como verdadeiramente ter uma apreciação plena da ópera.

"Os fãs se 'viciam' quando ainda são 'outsiders', antes de possuírem um aparato ativo para interpretar a experiência ou antes de estarem plenamente socializados no que constitui o prazer da ópera e como devem decodificá-lo", disse Benzecry em comunicado.

 
<p>Integrantes do The Royal Ballet se apresentam na produ&ccedil;&atilde;o de "Isadora" na Royal Opera House, em Londres. 10/03/2009. REUTERS/Stefan Wermuth</p>