Ator Stacy Keach é internado nos EUA

quarta-feira, 18 de março de 2009 14:45 BRT
 

Ator Stacy Keach é hospitalizado

LOS ANGELES (Reuters) - O ator Stacy Keach, em cartaz em Los Angeles com a peça "Frost/Nixon", foi hospitalizado na terça-feira por um problema de saúde não revelado, disse seu representante.

Keach, 67 anos, faz o papel do falecido presidente americano Richard Nixon na produção teatral de "Frost/Nixon".

"O ator Stacey Keach foi hospitalizado esta manhã (17de março) e se encontra num hospital de Los Angeles em condição estável", disse em comunicado seu representante, Dic Guttman. Ele disse que mais detalhes serão divulgados na quarta-feira.

Keach é conhecido principalmente pelo papel do detetive Mike Hammer no seriado de TV desse título, que foi ao ar nos anos 1980. Entre 2005 e 2007 ele atuou no seriado dramático "Prison Break".

Seus papéis no cinema incluem o de pugilista em "Cidade das Ilusões", de 1972, o de um supremacista branco em "A Outra História Americana", de 1998, e de um pregador em "W.", de 2008, sobre o ex-presidente George W. Bush.

Em entrevista que concedeu à Reuters em dezembro, ele falou de sua necessidade de continuar trabalhando e se manter ocupado, além de seu amor pelo golfe, que procurava jogar uma vez por semana.

Keach foi detido no aeroporto de Heathrow, em Londres, em 1984, depois de flagrado com cocaína na bagagem, e passou seis meses preso.

"Nunca mais cheguei perto disso (da cocaína) de novo", disse ele. "Todo o mundo na época falou que a sentença foi dura demais. Mas ela salvou minha vida."

A produção teatral de "Frost/Nixon" deve para ficar em cartaz em Los Angeles até 29 de março, e não foi informado como a hospitalização de Stacey Keach vai afetar a peça.

O diretor Ron Howard transpôs "Frost/Nixon" para o cinema em 2008, num filme com o mesmo título que foi indicado ao Oscar de melhor filme e teve Frank Langella no papel de Nixon.

 
<p>O ator Stacy Keach, em cartaz em Los Angeles com a pe&ccedil;a "Frost/Nixon", foi hospitalizado na ter&ccedil;a-feira por um problema de sa&uacute;de n&atilde;o revelado, disse seu representante. REUTERS/Chris Pizzello</p>