Advogado diz que evidências forenses inocentam Spector

quarta-feira, 25 de março de 2009 15:59 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - Evidências forenses no novo julgamento do produtor musical Phil Spector por homicídio doloso comprovam que ele não é culpado pela morte por tiros de uma atriz de Hollywood seis anos atrás, disse seu advogado ao júri na terça-feira.

Ao apresentar seus argumentos finais, após um novo julgamento que já dura cinco meses, o advogado de defesa Doron Weinberg disse que a mulher que morreu, Lana Clarkson, deu um tiro na própria boca e que não há sinais do DNA de Spector na arma ou perto dela.

"Phillip Spector não matou Lana Clarkson. É isso que as evidências mostram. É o que a verdade mostra", disse Weinberg ao júri.

"As evidências forenses mostram que Phillip Spector é inocente", disse ele, apresentando a lista de 14 provas científicas empregadas pela defesa no julgamento. Os advogados de Spector argumentam que Clarkson estava deprimida porque sua carreira de atriz não estava indo bem.

Spector, 69 anos, é acusado de assassinar Clarkson, 40, em 3 de fevereiro de 2003, quando ela tentou sair de sua casa nos arredores de Los Angeles. Eles tinham se conhecido horas antes numa boate de Hollywood onde a atriz estava trabalhando como hostess.

A promotoria argumentou que os tiros disparados fazem parte de um padrão de uso de armas de fogo e violência em relação a mulheres que Spector já evidenciou no passado.

O primeiro julgamento de Spector terminou em setembro de 2007, quando o júri chegou a um impasse, com dez jurados a favor de sua condenação e dois contra. As leis da Califórnia exigem um veredicto unânime para condenar ou absolver um acusado, por isso foi preciso um novo julgamento.

Desta vez o juiz deu aos jurados a opção de considerar um delito menor, homicídio culposo, quando deliberarem sobre o veredicto. Essa decisão foi vista como uma possibilidade de aumentar as chances de uma condenação.

Criador da técnica de gravação dos anos 1960 conhecida como "Wall of Sound" (parede de som), Spector não foi chamado a depor no primeiro ou segundo julgamentos.   Continuação...

 
<p>O produtor musical Phil Spector em julgamento por homic&iacute;dio doloso, em Los Angeles. 23/03/2009. REUTERS/Al Seib/Divulga&ccedil;&atilde;o</p>