Tribunal do Malauí decide na 6a sobre nova adoção de Madonna

segunda-feira, 30 de março de 2009 13:20 BRT
 

Por Mabvuto Banda

LILONGUE (Reuters) - Um tribunal do Malauí deve decidir na sexta-feira se a cantora pop norte-americana Madonna poderá adotar uma segunda criança no país. Um destacado ativista local pelos direitos humanos disse que isso equivaleria a tráfico de crianças.

Madonna compareceu ao tribunal nesta segunda, pedindo para adotar uma menina de 4 anos, Mercy James. A audiência foi adiada para 3 de abril.

Críticos acusam o governo de ter dado a uma das cantoras de maior sucesso no mundo tratamento especial quando ela adotou seu filho malauiano David Banda, dizendo que o governo passou por cima das leis que proíbem pessoas não residentes no país de adotar crianças.

Grupos da sociedade civil do Malauí disseram que pretendem opor-se à adoção de Mercy, e o grupo humanitário ActionAid declarou que a iniciativa não ajudará as milhões de crianças que vivem na pobreza em todo o mundo.

De vestido preto e óculos de sol, Madonna não falou com jornalistas depois de a Alta Corte ter adiado a audiência sobre seu caso.

Um dos advogados de Madonna disse diante do tribunal que ela está pedindo autorização para adoção temporária, de cerca de 18 meses.

O ativista malauiano dos direitos humanos Mavuto Bamusi ficou indignado com a tentativa mais recente de Madonna de adotar uma criança.

"Na ausência de leis e procedimentos claros, o que está acontecendo neste caso equivale a tráfico ou sequestro de crianças", disse ele em coletiva de imprensa.   Continuação...

 
<p>Madonna caminha com o filho adotado no Malau&iacute; David Banda, em uma escola financiada por ela em Lilongwe, no pa&iacute;s africano. 30/03/2009. REUTERS/Antony Njugun</p>