Rainha Vitória surge como grande "criadora de imagem" da realeza

terça-feira, 31 de março de 2009 10:54 BRT
 

Por Ian MacKenzie

EDIMBURGO (Reuters) - Duas pinturas da rainha Vitória feitas por Edwin Landseer, expostas numa mostra em Edimburgo de obras da coleção real britânica, ressaltam o talento da monarca do século 19 como uma das grandes "criadoras de imagens" da realeza britânica.

A mostra "The Conversation Piece: scenes of fashionable life", em exposição na Queen's Gallery no palácio Holyrood, mostra o lado informal da vida e do entretenimento da família real e da aristocracia britânicas.

A mostra traz 36 obras de vários artistas europeus e ingleses fortemente influenciados pelos grandes pintores holandeses e flamengos, com seu domínio da textura e dos detalhes finos.

Desmond Shaw-Taylor, o superintendente das pinturas da rainha, disse que Landseer (1803-1873) dominou magistralmente a técnica "holandesa" nos retratos que fez da rainha Vitória com lápis na mão, fazendo um desenho, com sua família jovem às margens do lago Lagan, na região montanhosa da Escócia, e com seu marido, o príncipe Albert, que acabava de retornar de uma caçada, e a princesa real no castelo de Windsor.

Cenas como essas, expondo uma família normal, saudável e amorosa, eram uma forma de propaganda difundida para o público através de gravuras para ressaltar a respeitabilidade da vida familiar da rainha.

Shaw-Taylor evitou o termo "propagandístico", mas disse que Vitória foi sem dúvida uma das maiores "criadoras de imagens" que a família real já teve.

Ele disse que a exposição nasceu do desejo de exibir as obras do artista neoclássico alemão Johan Zoffany (1733/4-1810), cuja habilidade em produzir retratos miniaturizados e cópias de outras obras-primas dentro de um único trabalho maior é espantosa.

As pinturas expostas refletem a alta sociedade inglesa da época e formam um contraste interessante com o que se poderia ver na França, por exemplo.   Continuação...