Paul e Ringo emocionam fãs dos Beatles em show beneficente

terça-feira, 7 de abril de 2009 10:46 BRT
 

Por Frank Scheck

NOVA YORK (Hollywood Reporter) - Em termos de preliminares musicais ao ato principal, a ocasião foi frustrante.

Na apresentação de sábado de Paul McCartney que fechou o concerto "Change Begins Within" (A transformação começa por dentro), de David Lynch, no Radio City, uma bateria ficou o tempo todo atrás dele, sem ninguém para tocá-la. Enquanto o ex-Beatle cantava versões instigantes de sucessos como "Jet", "Lady Madonna" e "Let It Be," entre outros, o público inteiro aguardava com a respiração suspensa. Quando Ringo Starr, que acabara de terminar sua própria apresentação solo, viria juntar-se a McCartney?

Foi apenas quase no final da maratona de quatro horas de música que McCartney anunciou a presença de um convidado especial, um certo "Billy Shears". Dito e feito: o animado Ringo surgiu no palco, dividindo o microfone com seu antigo colega de banda em "With a Little Help From My Friends" e emocionando a multidão com a coisa mais próxima a um reencontro dos Beatles que seria possível hoje.

Ver Ringo na bateria enquanto McCartney e os outros músicos cantavam "Cosmically Conscious" e "I Saw Her Standing There" fez o espectador ter a sensação, mesmo que passageira, de que tudo estava indo às mil maravilhas no mundo.

Nem que tudo estivesse necessariamente às mil maravilhas no show, que levantou cerca de 3 milhões de dólares para a fundação de David Lynch, cujo objetivo é ensinar a prática da meditação a 1 milhão de crianças "em situação de risco" em todo o mundo.

Apresentado por Lynch e a atriz Laura Dern, o concerto trouxe uma galeria de astros musicais, mas a inclusão de intermináveis discursos pregando as glórias da meditação transcendental em vários momentos deu a impressão de que o evento não passava de um informercial incrementado.

Também serviu como uma espécie de reencontro de veteranos da estadia dos Beatles na Índia, em 1968, para estudar com Maharishi Mahesh Yogi, entre eles Donovan (que cantou "Hurdy Gurdy Man" acompanhado por Jim James, do My Morning Jacket), o flautista Paul Horn e Mike Love, dos Beach Boys.

Muitos dos artistas tocaram materiais claramente inspirados na ocasião. Acompanhada por Ben Harper, Sheryl Crow cantou "My Sweet Lord", de George Harrison. McCartney fez uma homenagem a John Lennon com "Here Today". E Harper e Eddie Vedder arrasaram com "Under Pressure", do Queen e David Bowie.

Outros destaques do evento incluíram Moby e Bettye LeVette fazendo um duo em "Natural Blues", acompanhados por um coral infantil; as versões acústicas solo de Vedder de canções como "Far Behind" e "Rise", e o pianista Angelo Badalamenti abrindo o concerto com seu tema de "Twin Peaks".

Os convidados-surpresa incluíram Jerry Seinfeld ("Não meditem em cima de mim -- preciso fazer umas piadas") e Howard Stern em veio sério, diferente de seu habitual, revelando que pratica a meditação transcendental há 38 anos e que foi ela que salvou a vida de sua mãe, que sofria de depressão, muitos anos atrás.

 
<p>Ex-Beatles Paul McCartney e Ringo Starr em uma coletiva de imprensa em Nova York. 03/04/2009. REUTERS/Chip East</p>