Remake de "Hora do Pesadelo" terá novo Freddy Krueger

quinta-feira, 9 de abril de 2009 12:33 BRT
 

Por Borys Kit

LOS ANGELES (Hollywood Reporter) - Jackie Earle Haley, que foi elogiado pelo papel do misantrópico Rorschach no recente "Watchmen - O Filme", será o novo Freddy Krueger.

O ator fará o papel do célebre vilão no remake que a New Line Cinema fará de "A Hora do Pesadelo", assumindo o papel que foi representado antes por Robert Englund.

O "Pesadelo" original, lançado em 1984, ajudou a consolidar a New Line e a lançar uma série de filmes. Krueger é um serial killer de crianças que foi assassinado por seus pais e retorna para semear o terror entre adolescentes nos pesadelos deles.

Seu rosto queimado, luva de aço e suéter verde e vermelho se tornaram imagens instantaneamente reconhecíveis, além de figurinos que estão entre os mais escolhidos no Halloween.

Samuel Bayer, que dirigiu o vídeo feito pelo Nirvana para "Smells Like Teen Spirit", vai dirigir o remake. As filmagens começam em Chicago em 5 de maio.

"Quem assiste à performance de Haley em 'Watchmen' vê um sujeito representando um personagem escondido por uma máscara, mas, mesmo assim, sente uma empatia tremenda por ele", disse Bayer, falando do ator.

"Em 'Pesadelo', ele vai estar escondido debaixo de maquiagem prostética. É preciso sentir alguma coisa pelo personagem. Os maiores vilões são multidimensionais, e acho que ele levará algo disso para o personagem."

O papel de Freddy Krueger vai coroar dois anos de muito trabalho para Haley, que ficou conhecido como ator mirim nos anos 1970 em filmes como "Garotos em Ponto de Bala", mas no início de 1990 desapareceu das vistas do público. Ele abandonou o cinema e acabou fazendo bicos diversos no Texas.

Haley voltou ao cenário do cinema em 2006, fazendo um pedófilo em "Pecados Íntimos", de Todd Field, e também contracenou com Will Ferrell em "Semi-Pro". Ele será visto a seguir em "Shutter Island", de Martin Scorsese.

Bayer, que descreveu a versão que pretende fazer de Krueger como "um misto de Nosferatu e Ed Gaines", não se preocupa com a possibilidade de Haley ser marcado pelo papel, como aconteceu com Robert Englund. "É o que você leva para o papel que conta. Haley é um ator completo que não será estereotipado por conta disso. Acho mais provável que seja elogiado por isso".