"Hannah Montana" sacode as bilheterias na América do Norte

segunda-feira, 13 de abril de 2009 11:39 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - A atriz de 16 anos Miley Cyrus se tornou uma das maiores estrelas de Hollywood assim que a adaptação para o cinema de sua série de tevê "Hannah Montana" foi para o topo das bilheterias norte-americanas, no domingo, arrecadando duas vezes mais do que a Disney previa.

"Hannah Montana: O Filme", da Walt Disney, vendeu 34 milhões de dólares em ingressos nos três dias do fim de semana de Páscoa, atraindo os fãs do seriado exibido pelo canal de tevê da Disney.

Miley Cyrus aproveitou o sucesso, aparecendo ao lado de seu pai e co-estrela, Billy Ray Cyrus, em cinemas de Utah e do Tennessee e escrevendo na Internet sobre seu agitado fim de semana.

"Oh, meus fãs de rock! O filme está indo muito bem! E tudo isso por causa de vocês! Eu amo todos vocês! Se vocês ainda não viram, deem uma olhada!", escreveu ela no Twitter.

Como em seu show de tevê, Miley representa uma menina que vai à escola normalmente de dia e se torna pop star da música à noite. Mas seu pai (Billy Ray Cyrus) decide que ela precisa voltar às origens de sua pequena cidade, então a leva em uma viagem surpresa ao antigo lar no Tennessee, onde o amor e outras complicações acontecem.

Antes do fim de semana, a Disney anunciou uma expectativa de que "Hannah Montana" pudesse ter o mesmo desempenho do filme "Lizzie McGuire: Um Sonho Popstar", de 2003, com a estrela da Disney Hilary Duff. "Lizzie" estreou com arrecadação de 17,3 milhões de dólares, e terminou seu percurso norte-americano com 42,7 milhões de dólares.

No domingo, o estúdio negou que tenha deliberadamente estipulado uma meta abaixo das possibilidades de "Hannah Montana: O Filme".

"Nos pegou de surpresa. Não há dúvidas sobre isso", disse Chuck Viane, presidente da distribuição nacional do estúdio. "Exceto 'uau', o que você pode dizer?"

(Reportagem de Dean Goodman)

 
<p>Cantora Miley Cyrus na exibi&ccedil;&atilde;o do "Hannah Montana: O Filme" em Los Angeles. 02/04/2009. REUTERS/Phil McCarten</p>