Michael Caine diz que carreira vai desaparecer aos poucos

segunda-feira, 13 de abril de 2009 12:30 BRT
 

Por Michelle Nichols

NOVA YORK (Reuters) - Michael Caine vem atuando há mais de 50 anos e não tem planos de se aposentar. Em vez disso, o veterano do Exército britânico diz que sua carreira vai simplesmente "desaparecer aos poucos", como um velho soldado.

Caine tem 76 anos e diz que hoje só aceita papéis irrecusáveis e que, além de dois filmes que já estão prontos e do contrato para retomar o papel de mordomo pela terceira vez no filme "Batman", não tem nenhum outro filme em vista.

"É aquela velha coisa da máfia: você me faz uma oferta irrecusável. E irrecusável, para mim, hoje já não tem nada a ver com o dinheiro -- tem a ver com o roteiro", disse Caine à Reuters em entrevista para divulgar seu filme mais recente, "Is Anybody There?", que estreia na sexta-feira em alguns cinemas dos EUA.

"Se não aparecer um roteiro que eu não consiga recusar, então estou aposentado", disse. "Não há fanfarra ou anúncios nos jornais -- eu simplesmente desapareço. Fui soldado no passado, e dizem que 'soldados velhos não morrem, simplesmente desaparecem aos poucos'."

Caine, que serviu o Exército britânico na guerra da Coreia, disse que uma de suas melhores performances lhe foi oferecida em "Is Anybody There?", em que faz um músico sofrendo do mal de Alzheimer.

Clarence (Caine) forma uma amizade improvável com um garoto quando se muda para um asilo de idosos administrado pelos pais do garoto na zona rural da Inglaterra.

"É um dos melhores filmes que já fiz, uma de minhas melhores atuações", disse Caine, que recebeu Oscar de melhor ator coadjuvante por "Regras da Vida", em 2000, e em 1987 por "Hannah e Suas Irmãs."

ATUAR É SUA "DROGA"   Continuação...

 
<p>Ator Michael Caine em Nova York. 06/04/2009. REUTERS/Shannon Stapleton</p>