Arqueólogos buscam tumba de Cleópatra no Egito

segunda-feira, 20 de abril de 2009 10:41 BRT
 

Por Will Rasmussen

ALEXANDRIA, Egito (Reuters) - No alto de uma colina com vista para o Mar Mediterrâo, enterrados a grande profundidade abaixo da pedra calcária de um templo da deusa Isis podem estar os restos da rainha Cleópatra, segundo arqueólogos.

A tumba da rainha egípcia nunca foi encontrada, mas os arqueólogos estão descobrindo mais evidências de que os sacerdotes de Cleópatra levaram seu corpo para o templo após seu suicídio, para que ela ficasse com seu amante Marco Antonio.

"Este poderia ser a descoberta mais importante do século 21", disse neste domingo a jornalistas o chefe de arqueologia do Egito, Zahi Hawass, durante visita ao templo.

Arqueólogos do Egito e da República Dominicana planejam começar neste mesmo ano a escavar o local em busca da tumba.

Investigadores descobriram por radar que podem haver três câmaras. Os historiadores creem, baseados no escritor romano Plutarco, que Marco Antonio e Cleópatra foram enterrados juntos.

Kathleen Martínez, uma acadêmica da República Dominicana que foi pioneira na teoria de que Cleópatra poderia estar enterrada no templo, acredita que em uma das câmaras estão os corpos do famoso casal.

Se Martínez e sua equipe, que estão trabalhando há três anos no local, encontrarem corpos, procurarão placas que levem o nome de Cleópatra ou uma coroa que indique a identidade de alguma múmia.

Para ela, o corpo de Marco Antonio ainda pode estar adornado com o uniforme romano do antiguo general.

 
<p>Suposta tumba de Cle&oacute;patra no Egito. 19/04/2009. REUTERS/Goran Tomasevic</p>