Woody Allen pede veto a convocação de Mia Farrow para julgamento

terça-feira, 5 de maio de 2009 11:17 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - Advogados do cineasta Woody Allen pediram a um tribunal na segunda-feira que impeça a empresa American Apparel de convocar sua mulher, Soon-Yi Previn, e sua ex-namorada Mia Farrow como testemunhas num julgamento.

Allen moveu uma ação contra a empresa norte-americana de roupas, há mais de um ano, por infração de marca registrada, pedindo mais de 10 milhões de dólares em indenização por danos, depois de sua imagem ter sido usada em outdoors em Nova York e Los Angeles sem seu consentimento.

Em documentos do tribunal apresentados na segunda, os advogados de Allen disseram que uma lista de testemunhas possíveis apresentada pela American Apparel inclui Allen, Farrow, Previn, sua irmã Letty Aronson e o fundador da revista Hustler, Larry Flynt.

A moção registrada numa corte federal em Manhattan pede um mandado judicial para impedir a American Apparel de convocar testemunhas e apresentar evidências "relativas à vida pessoal e familiar de Woody Allen".

Os advogados disseram que qualquer plano para colocar Mia Farrow no banco de testemunhas "faz parte de uma tentativa brutal de caluniar e intimidar Woody Allen".

A possibilidade de tais testemunhas serem convocadas "demonstra a intenção inconfundível de converter este julgamento num espetáculo", dizem os documentos registrados. O julgamento está previsto para começar em 18 de maio.

A American Apparel argumenta que Allen superestima o valor de sua imagem, depois de ele ter se envolvido em vários escândalos sexuais. Em 1992, Mia Farrow, então a namorada de Allen, descobriu que o cineasta estava tendo um caso com Soon-Yi, 22 anos, a filha adotiva mais velha deles. Woody Allen se casou com Soon-Yi Previn em 1997.

Nos anúncios da American Apparel, que também apareceram em Web sites, Allen está vestido como judeu hassídico, usando barba e chapéu preto.

Os advogados do diretor compararam seu caso com o de Cary Grant, que processou a revista Esquire por publicar uma foto em que a cabeça de Grant era sobreposta a um tórax de crianças.

Woody Allen já dirigiu mais de 40 filmes e recebeu diversos prêmios, incluindo um Oscar de melhor direção por "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa", de 1977.

 
<p>Cineasta Woody Allen na apresenta&ccedil;&atilde;o do filme "Whatever Works" na abertura do Festival de Filmes Tribeca em Nova York. 22/04/2009. REUTERS/Lucas Jackson</p>