ESTREIA-"Star Trek" agrada com viagem ao passado de personagens

quinta-feira, 7 de maio de 2009 14:17 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Sempre que é anunciada uma nova série de TV ou longa-metragem da franquia "Jornada nas Estrelas", invariavelmente, ela é vista pelos fãs e pela crítica com certa reticência. Isso porque além de contentar a quem acompanha a história desde os anos 1960, é preciso que a produção seja atrativa ao espectador casual.

Embora seja difícil conseguir essa proeza, como visto no decepcionante "Nemesis" (2002), o novo "Star Trek", que estreia na sexta-feira no país com cópias dubladas e legendadas, vem provar que isso é possível.

Ao contar a história da tripulação original -- ícone inconteste de toda a série criada por Gene Roddenberry em 1966 -- o filme torna as aventuras na nave Enterprise atraentes para as novas gerações, sem desrespeitar os fãs de antigamente.

Pela trama, conhecemos a infância do Capitão Kirk (Chris Pine, de "Sorte no Amor") e do Sr. Spock (Zachary Quinto, da série "Heroes"). Enquanto o primeiro cresce farreando em Iowa (EUA), o segundo passa a infância em uma sociedade que preza o conhecimento, a despeito de qualquer emoção: os volcanos.

Os motivos que os levam a mudar de vida e embarcar na Frota Estelar, o Exército de paz da Federação, se definem nesse período. O jovem Kirk pretende seguir os passos de seu pai já morto, e Spock sofre perseguições por ser filho de um volcano com uma terráquea (uma participação especial da atriz Winona Rider).

Eles acabam embarcando juntos na viagem inaugural da Enterprise, onde acabarão conhecendo os personagens símbolo da franquia, como o Dr. McCoy (Karl Urban, de "Desbravadores"), Nyota Uhura (Zoe Saldana, de "Ponto de Vista"), Hikaru Sulu (John Cho, da série de TV "Ugly Betty") e Pavel Chekov (Anton Yelchin, de "Alpha Dog").

Em sua primeira missão, eles deverão enfrentar o vilão Nero (Eric Bana, de "Munique"), cujos planos envolvem Spock e a destruição de seu planeta natal. Como era de se esperar, antes de enfrentar Nero, os jovens Spock e Kirk devem encarar seus conflitos pessoais, que geram uma série de piadas para o filme.

O diretor J.J. Abrams ("Missão Impossível III") consegue um feito e tanto ao deixar o saudosismo de lado, sem perder a essência da série. Destaque também para Roberto Orci e Alex Kurtzman, que criaram um roteiro simples, apesar das múltiplas referências da franquia.

Para os mais "Trekkies" (nome dado aos fãs de Star Trek), uma boa surpresa: a participação especial do ator Leonard Nimoy, o eterno Spock. Além de ser uma homenagem, seu personagem é vital para a compreensão da história. Além disso, sua participação faz com que Kirk conheça o humorado e engenhoso Scotty (Simon Pegg, de "Chumbo Grosso"), que não podia faltar na tripulação.

(Por Rodrigo Zavala, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

 
<p>Atores Chris Pine e Zachary em uma cena do filme "Star Trek", da Paramount. REUTERS/Industrial Light and Magic/Paramount Pictures/Divulga&ccedil;&atilde;o</p>