Woody Allen ganha US$5 mi em ação por uso indevido de sua imagem

segunda-feira, 18 de maio de 2009 16:50 BRT
 

Por Christine Kearney

NOVA YORK (Reuters) - A empresa American Apparel fechou um acordo extrajudicial por 5 milhões de dólares para encerrar a ação movida por Woody Allen pelo uso indevido da imagem dele em anúncios da empresa, disse Allen na segunda-feira, quando a ação estava prestes de ir a julgamento.

O cineasta processou a empresa de roupas mais de um ano atrás, quando sua imagem apareceu em outdoors em Nova York e Los Angeles. Allen disse que sua reputação foi prejudicada e que a imagem tirada de seu filme "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa", que o mostra vestido como judeu hassídico, foi usada sem sua autorização.

Allen, 73 anos, que afirma não vender sua imagem para lucro comercial nos EUA, disse que os depoimentos revelaram que a American Apparel pensava que o medo de publicidade o impediria de ir à Justiça.

Uma das maiores fabricantes de roupas dos EUA, a American Apparel já publicou anúncios controversos no passado que incluíram jovens de pouca roupa em poses provocantes. Seu fundador, Dov Charney, foi processado por várias ex-funcionárias por assédio sexual.

Charney disse que teve a idéia de usar a imagem de Allen em abril de 2007, quando assistia a uma sequência de sonhos do filme "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa", feito por Woody Allen em 1977. Na época, disse Charney, ele estava angustiado devido às ações por assédio sexual movidas contra ele.

Charney, 40 anos, disse que sentiu afinidade com o personagem de Allen, que estava sendo negativamente retratado no filme, e também por Woody Allen na vida real, que também esteve envolvido em escândalos sexuais.

A ação numa corte federal ameaçou ficar mais pessoal depois que a ex-namorada de Allen, a atriz Mia Farrow, e a mulher dele, Soon-Yi Previn, apareceram numa lista de testemunhas.

Woody Allen se envolveu num escândalo público em 1992, quando Mia Farrow descobriu que ele estava tendo um caso com a filha adotiva dela de 22 anos, Soon-Yi. Allen se casou com Soon-Yi em 1997.

"As ameaças e vazamentos à imprensa pela American Apparel, que visavam me difamar, não funcionaram, e o esquema de convocar uma longa lista de testemunhas que não tinham absolutamente nada a ver com o caso também foi desautorizado", disse.

Woody Allen, que na ação que moveu contra a empresa pedira mais de 10 milhões de dólares, disse que poderia ter recebido mais se tivesse levado o caso ao tribunal, "mas não é assim que ganho a vida", falou.

 
<p>Cineasta Woody Allen chega em Corte de Nova York para processo sobre uso indevido de sua imagem. O cineasta ganhou 5 milh&otilde;es de d&oacute;lares na a&ccedil;&atilde;o decidida a seu favor. REUTERS/Eric Thayer</p>