Tarantino e Pitt levam a Cannes filme de matadores de nazistas

quarta-feira, 20 de maio de 2009 11:43 BRT
 

Por Mike Collett-White

CANNES (Reuters) - O diretor norte-americano Quentin Tarantino fez o cruzamento de faroeste, filme de gângsteres e filme de guerra em "Bastardos Inglórios," seu novo longa que traz Brad Pitt como líder de um bando de implacáveis matadores de nazistas.

Tão temível é o bando de "bastardos" judeus americanos que o próprio Adolf Hitler toma conhecimento de sua existência, e a narrativa -- previsivelmente violenta e repleta de ação -- une figuras da vida real numa trama turbulenta que reescreve a história.

A maior parte do filme é falada em alemão e francês, com legendas, o que pode limitar seu potencial nas bilheterias dos Estados Unidos.

Mas no Festival de Cinema de Cannes, onde o filme está na competição principal e fez sua estréia mundial na quarta-feira, houve aplausos calorosos após a sessão para a imprensa.

"Não sou um cineasta americano. Faço filmes para o planeta Terra, e Cannes é o lugar que representa isso", disse o diretor de 46 anos, que recebeu a Palma de Ouro de Cannes em 1994 por "Pulp Fiction - Tempo de Violência."

"Durante este tempo aqui na Riviera, o cinema importa, é importante", disse ele a jornalistas, explicando porque correu para aprontar seu filme em tempo para ser exibido no maior festival de cinema do mundo.

Tarantino se negou a explicar porque inseriu erros ortográficos no título original de seu filme, "Inglourious Basterds", tirado do filme de 1978 do diretor italiano Enzo Castellari "Inglorious Bastards", que foi exibido no Brasil sob o título "Assalto ao Trem Blindado."

CLÍMAX EXPLOSIVO   Continuação...

 
<p>Diretor Quentin Tarantino e Brad Pitt, membro do elenco de seu filme "Inglourious Basterds" no 62o Festival de Cannes. 20/05/2009. REUTERS/Vincent Kessler</p>