Time Warner promoverá cisão da America Online este ano

quinta-feira, 28 de maio de 2009 13:50 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - A Time Warner oficializou nesta quinta-feira planos para promover a cisão de sua divisão America Online (AOL), por volta do final deste ano, uma decisão há muito aguardada que vai remover uma das unidades mais fracas do grupo de mídia.

A Time Warner, que vinha há meses sinalizando a preparação desse plano, disse que a transação foi aprovada pelo Conselho e será estruturada de forma a isentar os acionistas de impostos. A operação ainda precisa do aval de autoridades regulatórias.

Quando a transação for concluída, a AOL voltará a ser uma companhia independente com ações em bolsa, pondo fim à fusão gigante entre as duas companhias de mídia, promovida em 2000 e classificada por críticos como mal-sucedida.

A AOL já foi o principal provedor de acesso à Internet nos Estados Unidos, em anos passados, mas terminou ficando para trás com a conquista de assinantes pelas operadoras de telefonia e cabos, e com os avanços do Google e outras companhias no setor de publicidade online.

A AOL passou por uma série de reduções contábeis de valor, para refletir a queda no valor de seus ativos e a desaceleração no mercado de publicidade online, e estava cada vez mais deslocada nos planos mais amplos da Time Warner para se tornar uma empresa que trabalha exclusivamente com conteúdo, concentrada em marcas de mídia como CNN, HBO e Warner Bros.

A Time Warner tentou diversas maneiras de ajudar a AOL em crise, entre as quais dividi-la em duas unidades, uma delas tendo por foco a audiência e publicidade e a outra o negócio tradicional, e cada vez menos importante, o acesso discado à Internet.

Mas nada disso bastou para reverter a situação da AOL e a Time Warner vinha sofrendo pressão cada vez mais intensa para abrir mão do negócio, ou por meio de uma cisão ou vendendo-a para o Yahoo ou à divisão MSN da Microsoft.

"Acreditamos que uma separação será o melhor desfecho, para a Time Warner e a America Online", disse o presidente-executivo da Time Warner, Jeff Bewkes, em comunicado. "A separação será outro passo crucial para a reformulação da Time Warner que iniciamos no começo do ano passado, o que nos permitirá concentrar ainda mais a nossa atuação no negócio de conteúdo, a nossa atividade central", acrescentou.

Em 2005, o Google comprou 5 por cento da AOL, em um acordo que projetava um valor de mercado da AOL de 20 bilhões de dólares. Em janeiro, o Google reduziu o valor de sua participação na empresa da Time Warner, implicando em um valor total da AOL de 5,5 bilhões de dólares.

Pelo plano anunciado nesta quinta-feira, a Time Warner irá comprar a participação do Google na AOL para então promover a cisão do negócio.

(Reportagem de Paul Thomasch)