Susan Boyle, estrela britânica na Internet, é internada em clínica

segunda-feira, 1 de junho de 2009 12:40 BRT
 

LONDRES (Reuters) - A cantora britânica sensação na Internet Susan Boyle deu entrada numa clínica particular depois de ter ficado em segundo lugar na final do popular concurso da TV "Britain's Got Talent," divulgou a mídia britânica.

Desleixada e nada glamurosa, Boyle parecia uma estrela improvável quando primeiro apareceu no programa, em abril, mas estarreceu os jurados e ganhou o apoio unânime do público quando cantou "I Dreamed a Dream," de "Les Miserables."

Boyle, 48 anos, era vista como favorita absoluta para vencer os outros nove finalistas no sábado, depois de clipes de sua participação anterior no programa terem sido descarregados quase 200 milhões de vezes e de ela ter sido saudada em todo o mundo como superestrela.

Mas, de acordo com o jornal The Sun, ela sofreu um "colapso emocional" em seu hotel em Londres, no domingo.

Um porta-voz da polícia confirmou que policiais foram chamados a um hotel de Londres "por médicos que davam assistência a uma mulher sob a lei de saúde mental."

"Ela foi levada voluntariamente de ambulância a uma clínica. Atendendo ao pedido dos médicos, a polícia acompanhou a ambulância," disse o porta-voz.

Apesar das expectativas de que Boyle ganharia uma fortuna com seu talento e sua fama quase instantânea, os organizadores do "Britain's Got Talent" manifestaram preocupação com sua capacidade de enfrentar pressões.

Boyle, que sofreu falta de oxigênio em seu nascimento, o que a levou a sofrer danos cerebrais leves, vem sendo perseguida pela imprensa mundial desde o início de abril e, segundo um dos jurados do programa, Piers Morgan, irrompeu em lágrimas em vários momentos durante a fase que antecedeu a final do programa.

Quase 4 milhões de pessoas telefonaram ao programa para escolher o vencedor, e a trupe de dança de rua Diversity venceu com 24,9 por cento dos votos, à frente dos 20,2 por cento conquistados por Boyle.   Continuação...

 
<p>Foto de arquivo de Susan Boyle. 21/04/2009. REUTERS/David Moir</p>